O programa de requalificação das vias estruturantes na província do Moxico prevê a intervenção dos troços Luau/Cazombo, Lucusse/Lumbala Nguimbo, Lucusse/LumbalaCaquengue, Lucusse/Cangamba, Lumbala Nguibo/Ninda e Luena/Leua.

Em entrevista ao JE, o director provincial do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA), David Tito, disse que o processo que teve início no ano passado, inclui ainda intervenções nas vias Lumege Pinto/Luangrico, Luangrico/Luchia, Camanongue/Lumege Cameia, Luena/Missão do Boma, Luena/Tchafinda.

Na ocasião, lamentou o facto das chuvas que assolam diariamente a província estarem a dificultar o andamento das obras de construção e reabilitação das obras de estradas secundárias e terciárias.

David Tito afirmou que apesar dos constrangimentos causados pelas chuvas o que tem atrapalhado o curso normal dos trabalhos, as empresas estão engajadas fortemente, para o cumprimento dos prazos contratuais e apresentarem a tempo as obras de qualidade para garantir a circulação de pessoas e bens em várias regiões da província.

Progressos
Sobre as estradas terciárias em requalificação a nível da província, David Tito assegurou que já foram terraplanadas cerca de 67 quilómetros (km) de distância.

Realçou que a reabilitação das vias terciárias apesar de estar no início dos trabalhos, já começam a garantir resultados significativos, principalmente aos camponeses que no passado recente viam-se constrangidos a evacuar os seus produtos para os grandes mercados.

As obras em curso, afirmou, constam nas estratégias do Executivo visando melhorar a circulação de pessoas e mercadorias a nível da região e proporcionar um modo de vida mais adequado em diversas comunidades.

A estrada que liga Lumbala Nguimbo/Ninda num percurso de 80 km está na fase final, faltando apenas sinalização e a construção de valas de drenagem, enquanto o troço Luzi/ Cangamba, foram feitos 45 de desmatação e de acomodação rodoviária dos 150 previstos.

Balanços
O troço Luau/Cazombo num percurso de 272 km entre os dois municípios as obras continuam paralisadas desde o ano passado depois de terem sido feitos 85 de asfaltos e 187 de terraplanagem.

Fazendo a balanço dos trabalhos já realizados desde o início do programa de reabilitação das vias de acesso, a província do Moxico, conta com 500 km de troços asfaltados, 300 terraplanados e 600 de acomodação rodoviária.

Ainda no âmbito de construção de infra-estruturas rodoviárias, foram erguidas nove pontes de betão armado e estão em curso mais de 10 com destaque para a ponte a ser erguida na via rodoviária Luena/Lumbala Nguimbo, município dos Bundas.

O responsável sublinhou que o Executivo angolano está a trabalhar cada vez mais no sentido de absolver os problemas do mau estado das vias de acesso para garantir aos utentes, um trânsito seguro e facilitar a circulação entre municípios e as comunas que compõe a província.

“Para que haja o desenvolvimento sustentável em qualquer sociedade é preciso que se aposte seriamente na melhoria das vias de comunicação, para facilitar a livre circulação de pessoas e mercadorias”, destacou o responsável.

O director provincial do Inea, disse que a região vai contar até 2017, com a reabilitação total das vias secundária e terciárias para permitir o desenvolvimento socioeconómico.

Moxico tem um total de 3.744 km de rede fundamental de estradas e 4.327 secundárias e terciárias.