Angola produz anualmente cerca de 10 mil toneladas de carne, numa altura em que as necessidade de consumo apontam para 150 mil toneladas por ano.

Em entrevista à Rádio Nacional de Angola, o director-geral do IIVA, Isaías António, disse que já fez o levantamento nas regiões onde existe potencial para a criação de gado bovino, para a implantação de um projecto que consiste na construção e reabilitação de tanques-banheiros e mangas de vacinação.
“Em alguns casos já existe algumas mangas e tanques banheiros e outros estão em estado de degradação, o que motivará a sua reabilitação, de modo a atingir o maior efectivo bovino no território nacional”, destacou.
O gestor assegurou que a criação de animais para a produção de carne visa responder a elevada procura no mercado nacional, e contribuir na redução da importação.

Criação pode aumentar
Um projecto agro-pecuário de 40 fazendas foi apresentado, no ano passado, no município do Cuchi, província do Cuando Cubango, com o objectivo de garantir a produção interna de carne bovina.
O projecto agro-pecuário, promovido pelo Governo em parceria com o grupo empresarial Costa Negócios e Bovinus do Sudeste de Angola começará com a produção para o consumo interno e mais tarde trabalhar-se-á para a exportação.
Cada fazenda terá perto de 5 mil metros quadrados, numa produção, até ao topo, de 200 mil cabeças de gado bovino, compreendendo 200 mil hectares.
Dados apontam que o Estado angolano gasta mais de 500 milhões de dólares americanos na importação de carne/ano.
A Cooperativa dos Criadores de Gado do Sul de Angola (CCGSA) aponta para a existência de cerca de 3,5 milhões de cabeças de gado em Angola. Deste número, mais de 90 por cento está na região Sul, oito no Centro e um no Norte. Para este ano está previsto o arranque do censo de gado. As fazendas associadas a CCGSA empregam mais de 3.500 pessoas. A cooperativa prevê executar um projecto de assistência técnica e zoo-sanitária destinado a auxiliar as 74 fazendas filiadas à agremiação.