O grupo empresarial "Boa Vida" lançou no sábado passado, em Luanda, o concurso de arquitectura, também denominado "Prémio Boa Vida 2019", para dar oportunidade aos estudantes angolanos.

Em entrevista ao JE, o presidente do Conselho Executivo do grupo empresarial, Wojtek Dowbor, disse que a iniciativa visa dar incentivo aos jovens arquitectos em ver os seus projectos realizados.

O prémio 2019 tem como foco a elaboração de uma capela, cujo vencedor poderá ver o seu projecto a ser construído na urbanização "Boa vida", em Luanda, sendo que o concurso é extensivo para o território nacional.

O vencedor terá um prémio de 500 mil kwanzas e a publicação do projecto em revistas. Alertou que o projecto será propriedade da empresa Boa Vida. O segundo classificado do concurso terá um prémio de 250 mil e o terceiro a quantia de 125 mil.

Projecto urbanístico

O grupo tem na urbanização "Boa Vida", que está a ser construída em Luanda, a sua principal "jóia de ouro". Segundo o gestor, o projecto habitacional enfrentou algumas dificuldades, principalmente no cumprimento da entrega das casas aos clientes, fruto da conjuntura económica que o país vive.

"Ficamos muito tempo sem possibilidade de importar material, mas as medidas que o Governo e o BNA tomaram estão a facilitar-nos", salientou, depois de informar que até agora, a empresa já entregou aos clientes 60 casas, na primeira fase, com o compromisso de semanalmente se fazer a entrega de novas habitações.