O investimento a ser realizado no local da futura fábrica no Soyo estará acima de 100 milhões de dólares norte-americanos

A Lyon SA, empresa angolana de construção e manutenção metalomecânica, está a montar tanques de armazenagem de Gás Natural Liquefeito no Terminal LNG no Soyo, província do Zaire, cujo investimento ultrapassará os 100 milhões de dólares. Neste momento, os trabalhos decorrem a bom ritmo e estarão concluídos em 2011, um ano antes da inauguração da fábrica de processamento de LNG.

As obras estão a ser executadas através de um consócio de três empresas angolanas do qual a Lyon faz parte, as outras são Petromar e Namkwang.

Além dos tanques, o trabalho inclui a construção civil, montagem metalomecânica, electricidade/ instrumentação, isolamento térmico, piping e actividades complementares.

Capacidade

Serão construídos tanques de LNG de 159.000m3, de propano de 88.000 m3, de butano de 59.000m3, de condensados de 108.000m3 e

tanque de água de incêndio com capacidade de 13.800m3.Constam, também, a implantação de quatro tanques de amina (541m3), água industrial (320m3), água potável (320m3) e de óleo (406m3).

Em Junho passado, foi feito o levantamento do tecto do tanque LNG A (air raising). Tratou de uma operação através de um sistema especial de ventilação capaz de içar a uma altura de 30 metros uma estrutura com peso de 900 toneladas.

A empreitada está a ser realizada à luz de um contrato assinado em Abril de 2008, em Houston-EUA, para a montagem dos tanques de armazenagem de Gás Natural Liquefeito.

O empreiteiro geral do empreendimento é a empresa americana Bechtel e o dono da obra a empresa Angola LNG Ltd, sendo esta uma associação das principais companhias petrolíferas a operar em Angola, nomeadamente a Chevron e a Sonangol.

Outros serviços

Além de apostar na implantação de tanques para conservação de combustíveis e água, a empresa Lyon centra as suas actividades na construção de unidades de armazenamento e enchimento de gás para consumo doméstico, denominado “LPG”. Em 2008, a Lyon procedeu à entrega das duas primeiras instalações de armazenagem e enchimento de LPG, no Panguila e Viana, em Luanda. Além disso, em Junho de 2010, o grupo angolano finalizou com sucesso os trabalhos de manutenção geral da Refinaria de Luanda. A maioria das unidades da Refinaria reentraram em serviço na última semana de Junho.

Os trabalhos de manutenção multidisciplinar abrangeu as áreas de mecânica, isolamentos térmicos, pintura, electricidade e instrumentação, tendo envolvido cerca de 400 trabalhadores. Além dos projectos enunciados, a empresa está vocionada à reabilitação de instalações petrolíferas, pipelines, manutenção industrial e construção de parques de combustíveis em aeroportos.

Para a realização das suas actividades, a empresa utiliza, essencialmente, a tecnologia americana, italiana e canadiana.

Energia

No sector energético, a Lyon está a proceder ao projecto e montagem de toda a infra-estrutura e instalação de quatro grupos geradores de 20 MW cada nas instalações da Central Térmica do Quileva (Lobito). Estes meios serão integrados na rede de 150 KV na Quileva, Lobito, que fornecerá energia eléctrica às cidades do Lobito, na cidade de Benguela e às vilas da Catumbela e Baía Farta.Estava prevista a entrada em funcionamento dos quatro grupos geradores no mês de Junho e Agosto, respectivamente.

Negócios

Com a conclusão dos projectos em curso, a empresa prevê um crescimento na ordem dos 10 por cento até ao final de 2010, segundo Ivan Marcos, director financeiro interino da Lyon. O também chefe da contabilidade da empresa disse que a ideia é superar os 177.354 milhões de dólares em termos de volume de negócios atingido em 2009.

Além de Luanda, a empresa está a desenvolver projectos nas províncias de Cabinda, Benguela, Zaire, Uíje, Malanje e Namibe.

Obras realizadas

A empresa construiu uma tubagem de transportação de Jet A1 (combustível destinado aos aviões). A linha partiu do bairro da Boavista ao Aeroporto Internacional “4 de Fevereiro”, numa extensão de 25 quilómetros.

Além da primeira, a empresa construiu uma segunda linha de transportação de Jet A1, no parque industrial da IMUL, estrada do Cacuaco, para a Central Térmica da ENE do Cazenga, numa extensão de sete quilómetros. Na central, a empresa montou igualmente um tanque de armazenamento de combustíveis com uma capacidade de suportar até 3.000 metros cúbicos do derivado.

No mercado desde 2004, a Lyon SA, criou até 2009, cerca de 579 postos de trabalho directos e 908 postos indirectos.

Leia mais sobre outras notícias na edição impressa do Jornal de Economia & Finanças desta semana, já em circulação