O responsável, que falava durante uma conferência de imprensa realizada, recentemente, em Luanda, informou que o processo de venda inicia na última semana deste mês via internet, no portal da Imogestin no endereço www.imocandidaturas.co.ao que já se encontra disponível para consulta.
Clarificou que não serão exigidas várias prestações à entrada, mas sim, uma única prestação mensal que dará o acesso à referida habitação, após a
validação da sua candidatura.
Por seu turno, o assessor para Comunicação e Imagem da Imogestin, Mário Guerra, explicou que estão disponíveis para vendas mais de 26 mil habitações nas várias centralidades do país, com realce para Capari
(Bengo) e KM44 (Luanda).
“Nesta primeira etapa do processo de comercialização, as candidaturas estarão abertas a todas as pessoas interessadas no regime de venda livre, não servindo para função pública nem para venda dirigida para grandes empresas públicas e privadas”, acrescentou.

Destinatários

A promotora imobiliária esclarece ainda que o portal lançado servirá apenas para modalidade de venda ao público livre.
Nesta modalidade, destinada a qualquer cidadão nacional que seja elegível nos termos dos critérios que constam do portal, poderão candidatar-se à aquisição de uma habitação nos projectos habitacionais.
Afirmou que quando as candidaturas estiverem disponíveis na base de dados da Imogestin, o candidato vai receber uma mensagem com a confirmação de que foi recebida e está sujeita a avaliação, obedecendo a um conjunto de critérios para a sua validação.
Ao contrário do processo registado em 2012, nesta fase de comercialização de habitações, a função pública terá uma quota de 40 por cento, a venda livre 30 e outros iguais 30 destinados aos cidadãos angolanos com menos de 40 anos.
Garantiu que nas modalidades de venda à função pública e empresas públicas, o processo será conduzido pelas suas próprias instituições, que farão contacto directo com a Imogestin, sendo que neste processo, os funcionários terão de
estar devidamente identificados.
N0 que toca aos preços das residências, estão fixados em kwanzas e registará um alargamento do regime da propriedade resolúvel para o segmento
da venda ao público livre.

Mais oferta

A centralidade da Carreira de Tiro II, localizada na cidade de Malanje vai contar com quatro mil apartamentos com a tipologia T3, a ser construída
numa área de 350 hectares.
A informação foi avançada, no acto do lançamento da primeira pedra, que aconteceu na semana passada, em Malanje, pelo arquitecto da empresa Imogestin, Manuel Carvalho.
Na ocasião, o responsável frisou que na primeira fase do projecto, que terá a duração de 18 meses, serão erguidas 256 unidades habitacionais entre uni-familiares e colectivas onde beneficiarão mais de quatro mil populares.
Referiu que a urbanização, que será erguida pela empresa portuguesa “Ingenium-engenharia e construção”, contará com 544 edifícios compostos por quatro pisos cada, 96 lojas, equipamentos sociais, nomeadamente escolas, creches, esquadra policial, posto de saúde, quartel de bombeiros e um edifício administrativo.
Por sua vez, o empreiteiro da empresa construtora, Mikail Araújo, disse que a empreitada terá uma força de trabalho de 300 jovens, cujo recrutamento será feito localmente.
Já no Cuito, província do Bié, deu-se início esta semana as vendas das habitações da centralidade construída nesta parcela do território.
*Com Angop