As vagas de investimentos que dão ênfase aos projectos privados implementados no interior da província do Bié, permitiram atingir neste ano, a cifra de 240 unidades industrais, afirmou o director provincial da Indústria e Geologia e Minas, António Papusseco.
Falando em saudação ao dia nacional da Indústria (23 de Novembro), o responsável disse que, os financiamentos desde as micro, pequenas e médias empresas transformadoras, proporcionaram 1.600 postos de trabalho deste número, cerca de 95 por cento é tecido humano nacional.
António Papusseco precisou que neste novo ciclo de investimentos, estão a dinamizar as indústrias das cerâmicas, moageiras, panificadoras e as mais recentes empresas de àgua de mesa e a de bebidas (diversas),que aguardam pela inaugurações, na cidade do Cuito.
O número de emprego que de forma progressiva se vem registando a nível da província do Bié, está a contribuir para o aumento de rendas das famílias.
Actualmente, acrescentou, o Bié tem investimentos em sectores com grande potencial para a produção, o que está também a captar novos financiamentos.
A falta de infra-estruturas sólidas de energia eléctrica ainda é um factor que reduz a produção industrial e provoca a demarcação de vários projectos em distintas regiões do Bié.

Mais apoios

O investidor Laurindo Chivala afirma que os recursos gastos para a energia têrmica na empresa são muito despendiosos, chegando a absorver todo o lucro da produção.
O empresário pede a subvenção do gasóleo para que os produtores da província possam equilibrar os custos dos investimentos.
“Só vamos alavancar a produção nacional se transferimos alguns financiamentos para auxiliar as micro e pequenas empresas no interior das províncias”,defendeu.