A Agência de Investimentos e Promoção das Exportações (AIPEX) foi, esta semana, ao fórum “Invest Huíla”, na cidade do Lubango, com uma equipa para assegurar que os empresários interessados no registo dos seus investimentos e na obtenção do respectivo certificado possam faze-lo sem burocracia.
O secretário de Estado da Economia, Sérgio Santos, esclareceu que estas são matérias que ilustram bem as acções que o Executivo está a fazer para a melhoria do ambiente de negócios.
Entre os temas em abordagem no certame do Lubango destacam-se “O ambiente de negócios e a formação profissional na província da Huíla”, “Oportunidades de investimentos”, “Desenvolvimento de empreendimentos empresariais privados na província da Huíla”, “As política e estratégias de desenvolvimento do sector privado” e a “Estratégia do Governo de angolano para o desenvolvimento do sector energético e suporte ao investimento privado”.
A “Evolução do sector empresarial privado em Angola: Diagnóstico e perspectivas” e “Perspectivas de desenvolvimento da indústria no sul de Angola”, “O financiamento de projectos empresariais privados”, “Linhas de financiamento do banco Mundial para investidores angolanos”, “Oportunidades de financiamento de projectos através de Linhas de crédito do BDA”. “A nova realidade do IVA”, “O IVA na perspectiva da inspecção e na arena económica” e “O crédito bancário no contexto do financiamento à economia”, são outros temas em abordagem do INVEST – Huíla que termina hoje (quinta-feira) e conta dom a presença de investidores nacionais e estrangeiros. riar novos postos de trabalho de modo a reduzir a taxa de desemprego que actualmente ascende em 20,1% e aumentar as receitas fiscais não petrolíferas em 30% até 2022, elevando estas de 9 mil milhões para 13 mil milhões na província, constitui um dos objectivos da realização do Fórum de Negócios e Oportunidades de Investimento (INVEST-Huíla), disse ontem, o governador provincial da Huíla, Luís Manuel da Fonseca Nunes.
Já o governador provincial da Huíla, Luís Manuel da Fonseca Nunes, disse ainda que a realização do II Fórum de negócios e Oportunidades de Investimento insere-se na perspectiva gizada pelo Governo local, alinhado ao Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN) 2018-2022, no sentido de atrair e mobilizar o investimento privado para os sectores da indústria, agro-pecuária, mineiro e turístico, com a finalidade de aumentar a produção interna, substituir os bens importados e aumentar as exportações.
“Pretende-se aumentar a capacidade contributiva da província da Huíla, no alcance dos objectivos nacionais”, disse, acrescentando que um dos grandes desafios que se coloca para a província, é potenciar o empresariado, com a criação de infra-estruturas de apoio ao desenvolvimento, tais como a energia, água e vias de comunicação, com vista a fomentar o empreendedorismo.

Legalização de empresas
O governador provincial da Huíla defendeu ser necessários que sejam ultrapassados todos os entraves burocráticos em relação aos processos de concessão de direitos de superfície e de legalização de empresas.
Reconheceu que a realização do “Invest Huíla”, acredita-se, abre porta para materializar o sonho de tornar a região centro e sul, num centro económico de referência, aproveitando ao máximo, as potencialidades entre as províncias vizinhas da Huíla, Benguela, Huambo, Cunene, Namibe e Cuando Cubango.
“Precisamos estimular o turismo, transformando os locais turísticos em produtos turísticos, articulando com o fomento da arte, indústrias culturais e criativas, promovendo o desenvolvimento local, o que contribui para a economia nacional”, referiu.
Indicou que outro sector de grande impacto para o desenvolvimento económico da província da Huíla, é o sector minério, fundamentalmente das rochas ornamentais, que oferece uma prestimosa oportunidade de investimento.

Ministério esclarece dúvida dos empresários

A equipa do Ministério da Economia está, igualmente, presente no Lubango, para tirar todas as dúvidas, “mas mais do que isto, para nos próximos dias estruturar com as associações empresariais da Huíla, um trabalho que terá a ver com encontros entre os empresários e a banca para apresentação dos projectos”. A afirmação foi feita pelo secretário de Estado da economia, Sérgio Santos.
“Estamos a agendar até finais de Dezembro, estes encontros, em que o Ministério da Economia e Planeamento e os Bancos vão deslocar-se até o local de produção, ao encontro dos produtores que já laboram e que já trabalham, para com eles discutir as oportunidades e as necessidades de financiamento”, adiantou.
O governante acrescentou que no mesmo domínio, está presente no Fórum, o presidente do Conselho de Administração do BDA, com a sua equipa, para trabalhar com os empresários nestes dois dias, no esclarecimento das linhas que estão disponíveis junto do BDA, para os empresários nacionais e estrangeiros na Huíla, em função das parcerias que vão ser constituídas.
Nas linhas de creditou, o secretário de Estado da Economia, Sérgio Santos, destacou a facilidade do Doutch Banc, de cerca de mil milhões de dólares para financiar investimentos do sector privado.
Sublinhou com destaque, para aqueles ligados ao sector das exportações, onde a Huíla é muito forte. “Nós estamos a espera que surjam empresários com bons projectos”, salientou, referindo que “o tempo de apresentar as nossas teses terminou e começou o tempo de trabalhar activamente com os empresários e solicitamos às equipas presentes e aos empresários proactividade e trabalho”.
“Deixemos de lamentar, vamos arregaçar as mangas e vamos fazer Angola e a Huíla em particular, um país melhor e uma província melhor”, defendeu.

Constituição de empresas
Os empresários, assegurou o secretário de Estado da Economia, Sérgio Santos, que durante os dois dias do Invest-Huíla, podem constituir as suas empresas, fazer parcerias e podem ter o registo do investimento privado.
Sobre o apoio ao acesso ao crédito, salientou, de forma prática orientou-se uma equipa do Ministério da Economia que está presente no fórum, para nestes dois dias, tirar todas as dúvidas em relação aquilo que os empresários têm estado a ouvir.
“Os empresários nacionais e estrangeiros têm de ter a vida facilitada para fazerem as suas actividades”, afirmou.
Sérgio Santos felicitou o governo da Huíla, que pela segunda vez realiza o Fórum de Negócios e Oportunidades de Investimentos o Invest-Huíla, a que considerou com uma marca do governo local, que deve-se reforçar.