A Associação dos Naturais e Amigos de Kiwaba Nzoje (ANA – Kiwaba- Nzoje), 95 quilómetros a Norte da cidade de Malanje, vai priorizar a reabilitação, a curto e médio prazo, das vias de comunicação, o relançamento da agricultura e o escoamento da produção agrícola e contribuir para o aumento da produção e diversificação da economia nacional, garantiu o seu presidente, André Nascimento.
Em declarações à imprensa, André Nascimento, apontou igualmente como prioridades, a construção de três escolas nas comunidades mais recônditas, como nas localidades de Mbari, Ngunga Nhongo, Lutau, Quissua.
Consta igualmente da lista de prioridades a reabilitação de estradas terciárias a nível do município para facilitar a livre circulação de pessoas e o escoamento
da produção agrícola.
O responsável apontou ainda como linhas de força a captação de investidores nacionais e estrangeiros para investir no município nos vários domínios
da vida sócio económica local.
André Nascimento disse ainda que a reabilitação das vias de acesso é crucial já que há dificuldade de ligação rodoviária da sede do município de kiwaba Nzoje para algumas localidades, no caso, de Nhangue, entre outras, cujas estradas estão degradadas e só se pode viajar por meio de motorizadas.
O responsável defendeu ainda a necessidade de uma maior articulação com a Administração municipal juntando-se aos esforços do governo de Malanje para a resolução de alguns problemas que afligem as populações
daquela circunscrição.
André Nascimento defende a coesão e unidade entre a administração, os filhos e naturais do município no sentido de identificar as possíveis áreas de intervenção e que deve ser dado a conhecer junto do governo para conseguir alguns investidores nacionais e estrangeiros para levar o município a outros patamares.
“Temos projectos de alinhamento das estradas terciárias para facilitar o escoamento da produção agrícola que é feita em grande escala e que tem estado a se estragar por falta de escoamento”, acrescentou o dirigente.
No que diz respeito ao sector da educação, o presidente da ANA-Kiwaba-Nzoje lamentou o facto de o município contar, neste momento, com apenas um instituto médio, o que obriga muitos técnicos médios a não se fixar no município emigrando para a sede provincial e outros pontos do país em busca de formação superior.
André Nascimento pediu ao governo que seja instalado um núcleo do ensino superior para se inverter o quadro.
“ Volvidos 17 anos de paz efectiva o município começa a dar mostras de desenvolvimento de forma gradual, apesar de não ser ainda o desejado, porém muita coisa ainda está por se fazer”, realçou o presidente da associação. Para acrescentar disse que é preciso que haja uma força impulsionadora, bem como maior intervenção da sociedade civil que possa intervir junto da administração municipal para outros passos subsequentes.