A nova linha de produção e instalações fabris da Empresa de Lacticínios de Angola (Lactiangol), orçada em cerca de 27 milhões de dólares (quatro mil seiscentos e quarenta e quatro milhões de kwanzas), foram inauguradas na passada segunda-feira, em Luanda, pela ministra da Indústria, Bernarda Martins.
Financiada pelo Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), o valor investido serviu para duplicar a capacidade de produção, garantir padrões de qualidade e actualizar os serviços técnicos, tendo como foco a satisfação da demanda.
Com este investimento, a Lactiangol passa a produzir mil e 200 quilos/hora de manteiga, sete mil litros/dia de iogurte liquido, cinco mil litros/dia de iogurte natural, treze mil litros/hora de processamento e enchimento de leite UHT e 20 mil litros/hora de recepção de leite em natureza.

Mais-valia

Na cerimónia de inauguração, a ministra da Indústria referiu-se a importância do projecto nesta fase difícil que o país atravessa, mas, apesar desta dificuldade, sublinhou que o mesmo abre a porta para dar sequência ao programa de distribuição de merenda escolar iniciado pela Lactiangol.
Para o presidente do Conselho de Administração (PCA) da Lactiangol, José César Macedo, o investimento feito vai traduzir-se no aumento da capacidade de produção de leite, de iogurte, de manteiga, da competitividade e rentabilidade da empresa.
Criada em Março de 1994, a Lactiangol , com 290 trabalhadores, tornou-se ao longo dos anos na principal unidade industrial de lacticínios de Angola, sendo a empresa líder destacada no mercado nacional na sua área de actividade.