De acordo com o director do projecto, Elias Estêvão, em declarações ao Jornal de Angola, o Aproveitamento Hidroeléctrico de Laúca, em Malanje, dá assim, início aos ensaios da linha de transporte de energia para Capanda, tendo em vista a entrada em funcionamento da fase experimental da primeira turbina no mês de Junho.
Para 21 de Julho, de acordo com Elias Estêvão, está previsto o início da produção e injecção na rede do primeiro grupo gerador, num total de 334 megawatts. Desde 11 de Março que o enchimento em Laúca está a condicionar a operação nas restantes barragens já instaladas no rio Kwanza, devido ao reduzido caudal, limitando o fornecimento de electricidade da rede pública a Luanda.
Elias Estêvão anunciou igualmente a conclusão da linha de transporte que liga Laúca a Cambambe, que vai permitir escoar a energia para Luanda, enquanto que em Dezembro fica concluída a linha de Laúca a Catete.
O responsável do projecto disse que a partir do próximo ano estarão concluídas as linhas de transporte que vão interligar Laúca ao sul do país, estando igualmente prevista a construção no princípio de 2018 de uma subestação de 400 megawatts na província de Malanje.
Elias Estêvão fez saber ainda que o nível de execução das obras civis em Laúca se encontram a 90 por cento. A parte electromecânica encontra-se a 70 por cento.
Em quatro meses está previsto que a barragem de Laúca atinja a cota 830, equivalente a uma albufeira com um volume de água de mais de 2.500 milhões de metros cúbicos.