Cerca de 203 bovinos entre raças regionais Bul bock, Bosmara, Brahaman, Nelore, Mix Brahaman além de caprinos, suínos e equinos, distribuídos em 42 lotes, foram leiloados na Feira Industrial, Comercial e Agro-pecuária do Cunene (FEICAP), realizada no passado fim-de-semana, na cidade de Ondjiva, enquadrado nas festividades dos 49 anos da província.

Foram arrecadados kz 200 milhões, num evento promovido pelo governo do Cunene, concentrando todos os anos, centenas de criadores de gado bovino, caprino, suíno, equinos e de aves domésticas, provenientes de várias localidades da província. Além do comércio de animais, o evento serve também para a troca de experiências no ramo agro-pecuário. Grande parte do valor arrecadado no leilão de gado, foram doados para as vítimas da seca na província do Cunene, que sofre com a falta de alimentos e de água para a sua sobrevivência.

Ausência considerável
Na edição deste ano, registou-se a ausência dos criadores de gado das províncias da Huíla, Namibe e da vizinha República da Namíbia, devido ao fenómeno da seca que se regista na região Sul de Angola e a Norte da Namíbia. A situação da seca consubstanciada na falta de água e pasto para os animais no Cunene, Namibe e Huíla levou muitos criadores a mostrarem-se cautelosos na movimentação para a maior bolsa de negócio agro-pecuário da província. Não obstante às dificuldades, com realce para a seca, ainda assim, muitos criadores com grande destaque para fazendeiro e criadores tradicionais, da Huíla e Cunene não resistiram ao porte físico e qualidade do gado para criação e abate. No ano passado, na 14ª edição da “FEICAP” tinham sido leiloadas cerca de 177 espécies entre raça Mexi Braman e Zebú, bem como caprinos, suínos, equinos e aves domésticas, distribuídos em 41 lotes, num valor global de kz 65 milhões. Mais oportunidades O governador do Cunene, Virgílio Tyova, disse ser um “leilão possível”, tendo em conta a situação da seca que a província está a viver, o que levou a debilidade de muitos animais, e a obrigar os criadores a irem para a transumância, daí a fraca participação na maior bolsa de negócios da região. Considerou o leilão de gado bovino e caprino como uma boa oportunidade dos criadores trocarem ideias, avaliar o desenvolvimento pecuário da região e do país. Referiu que a participação dos criadores na compra dos animais foi aceitável, tendo acrescentado que as próximas serão ainda melhor, devendo a mobilização ser mais abrangente não só para criadores locais, mas também de outras províncias e países vizinhos.
Mais do que uma oportunidade para promover negócios,disse, o leilão de gado no Cunene procura mostrar que os homens de negócios não estão indiferentes ao desafio nacional de diversificar a economia e aumentar a produção interna. No recinto criado para o comércio de animais, acorreram empresários, fazendeiros e criadores tradicionais de gado. O governador provincial da Huíla, Luís Nunes, também marcou a sua presença no evento. Dados indicam que a seca na província do Cunene já matou desde Outubro de 2018, cerca de 26.267 cabeças de gado, entre bovino, caprino e suíno.