A melhoria das ligações inter-provinciais e municipais, através da reabilitação das estradas secundárias e terciárias, visando impulsionar o desenvolvimento socioeconómico da região, constam das prioridades do novo governador da Lunda Sul, Ernesto Kiteculo. O governante fez esta promessa, na passada sexta-feira, quando discursava na cerimónia da sua apresentação como governador da Lunda Sul, orientada pelo ministro da Administração do Território e Reforma do Estado, Adão de Almeida.
“Será dedicada especial atenção, realizar com empenho, dedicação e dinamismo, a reabilitação das estradas que garantem a ligação permanente com as outras províncias e os municípios, sobretudo, a estrada Nacional 180, que facilita a ligação entre as três províncias do leste do país, Lunda Norte, Lunda Sul e Moxico”, prometeu.
Disse que vai, igualmente, dinamizar a construção das estradas secundárias que ligam as comunas de Cacolo/Alto-Chicapa/Cucumbi/Xassengue, Dala/Luma-Cassai, Muriege/Chiluange e Saurimo/Sombo, iniciadas em Outubro de 2014.
De acordo com o governador, a melhoria das vias estruturantes, vai contribuir para atracção de investimentos privados ao nível da província da Lunda Sul, em vários domínios, o que permitirá um rápido crescimento económico e social desta região.

Desenvolvimento
Por seu turno, o ministro da Administração do Território e Reforma do Estado, Adão de Almeida, pediu, uma atenção especial aos municípios, por serem o principal centro da condução do processo de desenvolvimento do país.
Para tal, deve-se prestar os serviços essenciais nos municípios, visando a melhoria dos índices de desenvolvimento humano e a qualidade de vida dos cidadãos, disse o ministro que orientou a cerimónia de passagem de pastas no Governo Provincial da Lunda Sul.
“Não vamos conseguir o desenvolvimento nacional, se não conseguirmos o desenvolvimento local, se não colocarmos os municípios a trabalhar e a fomentar os elementos que potenciem o progresso socioeconómico”, frisou, depois de sublinhar que “daí resulta a necessidade de prestação de uma atenção especial aos municípios”.
Adão de Almeida considerou necessário a abertura de espaços de intervenção para as administrações municipais, neste sentido.