Apesar de a Lunda-Norte constituir-se numa província potencialmente diamantífera, o Executivo, em coordenação com as autoridades locais, vão a partir do próximo ano, implementar vários projectos do sector produtivo com vista a acelerar o processo de diversificação da economia.
A aposta noutras actividades de crucial importância económica, sobretudo a agricultura, pecuária e pesca, é solução encontrada para tirar a província da excessiva dependência do sector diamantífero, promovendo o desenvolvimento sustentável da região e criar mais postos de trabalho.
Uma especial atenção, vai ser dada aos pequenos, médios e grandes produtores empresariais do sector agro-pecuário de toda a província.
Além de iniciativas do governo provincial, que visam estimular a actividade empresarial, os responsáveis das respectivas empresas, já podem entretanto, solicitar financiamentos para projectos elegíveis ao Programa de Apoio ao Crédito (PAC), aprovado pelo Executivo, como braço financeiro do Programa de Apoio à Produção Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI).

Desbravar a terra
O governador provincial da Lunda-Norte, Ernesto Muangala, garantiu terça-feira no Dundo, por ocasião da tradicional cerimónia de cumprimentos de fim de ano, que o ano agrícola 2019/2020, vai contar com um universo de 184.192 mil famílias camponesas.
Para o próximo exercício económico, segundo Ernesto Muangala, as autoridades da província vão pôr à disposição dos camponeses organizados em associações e cooperativas , mais de 200 mil hectares de terra devidamente desbravados, assistência técnica, sementes e fertilizantes com vista a incrementarem os níveis de produção.
A chegada à província de factores indispensáveis à produção, com destaque para trinta tractores destinados à criação de três brigadas de mecanização agrícola, vai contribuir significativamente na mitigação dos esforços empreendidos pela massa camponesa, acabar com a agricultura feita com recurso à meios rudimentares e assegurar a preparação dos solos, afirmou o governador.
Com a agricultura mecanizada, adiantou Ernesto Muangala, as perspectivas em termos de aumento da produção e diversificação das culturas são animadoras.
Na próxima campanha agrícola prevê-se uma colheita na ordem de 1.540210 toneladas de produtos diversos, garantiu Ernesto Muangala, demonstrando claramente que está na hora de sair da teoria para acções práticas, concretas e palpáveis.
Prometeu mais empenho do seu pelouro para ultrapassar as dificuldades e insuficiências do ponto de vista técnico e material, de forma a serem alcançadas as metas preconizadas e contribuir para o êxito do programa de combate à pobreza.
O governo da Lunda-Norte, estabelece ainda como prioridade, acções concretas que estimulem o surgimento de mais empresas agrícolas familiares, garantia do apoio técnico e material, formação de quadros, acesso ao crédito bancário para se obter bons níveis de produtividade a curto e médio prazo.

Pecuária
Destacou que, registou aumento considerável da produção de ovos, contando actualmente com um universo de 13 mil galinhas. Em 2019, foram produzidos 3.38.000 ovos.
A produção da carne, atingiu a cifra de 32.465 quilos dos quais 23.340 bovina, 6.300 caprina, 1.820 ovina e 1.005 suína, afirmou o governador.
Quanto a pesca artesanal, Ernesto Muangala disse que a província atingiu a captura de 144.445 quilos de pescado, sendo que na aquicultura chegou-se a um total de 42.993 quilos.

A aposta noutras actividades de crucial importância económica, sobretudo a agricultura, pecuária e pesca, é solução encontrada para tirar a província da excessiva dependência do sector diamantífero, promovendo o desenvolvimento sustentável da região e criar mais postos de trabalho.Uma especial atenção, vai ser dada aos pequenos, médios e grandes produtores empresariais do sector agro-pecuário de toda a província.Além de iniciativas do governo provincial, que visam estimular a actividade empresarial, os responsáveis das respectivas empresas, já podem entretanto, solicitar financiamentos para projectos elegíveis ao Programa de Apoio ao Crédito (PAC), aprovado pelo Executivo, como braço financeiro do Programa de Apoio à Produção Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI).

Desbravar a terra
O governador provincial da Lunda-Norte, Ernesto Muangala, garantiu terça-feira no Dundo, por ocasião da tradicional cerimónia de cumprimentos de fim de ano, que o ano agrícola 2019/2020, vai contar com um universo de 184.192 mil famílias camponesas.
Para o próximo exercício económico, segundo Ernesto Muangala, as autoridades da província vão pôr à disposição dos camponeses organizados em associações e cooperativas , mais de 200 mil hectares de terra devidamente desbravados, assistência técnica, sementes e fertilizantes com vista a incrementarem os níveis de produção.
A chegada à província de factores indispensáveis à produção, com destaque para trinta tractores destinados à criação de três brigadas de mecanização agrícola, vai contribuir significativamente na mitigação dos esforços empreendidos pela massa camponesa, acabar com a agricultura feita com recurso à meios rudimentares e assegurar a preparação dos solos, afirmou o governador.
Com a agricultura mecanizada, adiantou Ernesto Muangala, as perspectivas em termos de aumento da produção e diversificação das culturas são animadoras.
Na próxima campanha agrícola prevê-se uma colheita na ordem de 1.540210 toneladas de produtos diversos, garantiu Ernesto Muangala, demonstrando claramente que está na hora de sair da teoria para acções práticas, concretas e palpáveis.
Prometeu mais empenho do seu pelouro para ultrapassar as dificuldades e insuficiências do ponto de vista técnico e material, de forma a serem alcançadas as metas preconizadas e contribuir para o êxito do programa de combate à pobreza.
O governo da Lunda-Norte, estabelece ainda como prioridade, acções concretas que estimulem o surgimento de mais empresas agrícolas familiares, garantia do apoio técnico e material, formação de quadros, acesso ao crédito bancário para se obter bons níveis de produtividade a curto e médio prazo.

Pecuária
Destacou que, registou aumento considerável da produção de ovos, contando actualmente com um universo de 13 mil galinhas. Em 2019, foram produzidos 3.38.000 ovos.
A produção da carne, atingiu a cifra de 32.465 quilos dos quais 23.340 bovina, 6.300 caprina, 1.820 ovina e 1.005 suína, afirmou o governador.
Quanto a pesca artesanal, Ernesto Muangala disse que a província atingiu a captura de 144.445 quilos de pescado, sendo que na aquicultura chegou-se a um total de 42.993 quilos.

Expectativa
dos produtores

Contactados pelo JE, a propósito das promessas feitas pelo governador provincial sobre a nova era no sector agro-pecuário, os pequenos e médios empresários da Lunda-Norte dizem estar atentos aos novos programas do Executivo voltados para o sector.
Os produtores revelam que dada a transparência de que muito se fala, começam já a remeter processos às instituições bancárias, com vista a solicitação de financiamentos elegíveis no Programa de Apoio ao Crédito (PAC), no âmbito do Prodesi.
Carlos Borba proprietário da fazenda Txissua, localizada no município do Chitato que aposta na produção de citrinos e tubérculos em escala média, disse que a expectativa dos empresário locais é muito grande sobre as melhorias que o Programa de Apoio ao Crédito vai trazer.
Carlos Borba, cuja fazenda , dispõe de uma área agrícola de mil hectares doze dos quais cultivados, realçou que o PAC é o ponto de partida para a redução das situações que embaraçam o fomento de uma agricultura sustentável, moderna e capaz de criar empregos para as famílias.
O empresário reconheceu que a obtenção de crédito bancário, vai permitir aumentar as áreas de cultivo, diversificar os produtos e proporcionar novos postos de trabalho.