Os fazendeiros do sector agro-pecuário da província do Cunene foram desafiados a apostar mais na produção agrícola ao longo das margens do rio Cunene, no sentido de se garantir mais alimentos durante o ano. Segundo noticia a Angop, o governador da província do Cunene, Virgílio Tyova, disse, recentemente, em Ondjiva, num workshop sobre o fomento da actividade pecuária no Cunene, alusiva ao 49º aniversário da província, ser necessário a produção agrícola feita em todas as épocas do ano, aproveitando as águas do rio. “Os períodos prolongados da seca têm causado muita fome nas famílias que só produzem uma vez por ano quando há chuva. Devemos mudar esta prática e optar pela agricultura feita através da irrigação”, destacou. Virgílio Tyova aconselhou os empresários agro-industriais, produtores e camponeses, a aderirem ao Programa de Apoio à Produção Nacional, Diversificação das Exportações e Substituição de Importações (PRODESI).

Potencialidades
Por seu turno, o técnico dos serviços veterinários, Luís Gata, ao dissertar sobre o tema “O fomento da actividade pecuária no Cunene”, disse que a região é potência em gado, mas deve ser vacinado no tempo adequado para ser protegido das doenças.
Referiu que o gado por representar a principal actividade económica na região, deve merecer o maior cuidado, apesar de estar a passar por uma situação crítica devido a falta de água e pasto. Apesar de o rio Cunene nascer nas Boas Águas, Huambo, a província do Cunene tem mais de 200 quilómetros, passado os municípios do Cuvelai e Ombadja que, se for bem aproveitado, facilita a prática da agricultura familiar e mecanizada. No total, a bacia do Cunene tem uma extensão de 106.560 quilómetros quadrados (km²) e comprimento de 1.050 km.