Segundo fez saber, o director de produção da Biocom, Marco Brandão, para se atingir esta meta foram preparados 18 mil hectares de cana-de-açúcar, prevendo-se alcançar até ao final do ano cerca de 40 mil hectares.
Destacou o aumento da produção em 50 por cento comparativamente ao ano transacto, em que foram produzidas 52 mil toneladas de açúcar, 14 mil metros cúbicos de etanol e cerca de cem mil gigawats de energia.
Neste momento, frisou, está a ser feita a manutenção dos equipamentos para que nos próximos dias começa a produção da presente safra.
Marcos Brandão apontou como prioridade a expansão do açúcar produzido na Biocom em todas as regiões do país, acrescentando que posteriormente vai ser traçado um plano de exportação do produto com o aumento da produção.
A Biocom tem uma capacidade de produzir 256 mil toneladas de açúcar, 234 gigawats de energia e 30 mil metros cúbicos de etanol, níveis que podem ser atingidos com a maturação do projecto em 2020, de forma a satisfazer as necessidades e as exigências do mercado. Neste momento, a unidade fabril conta com mais de 2 mil funcionários, entre nacionais e expatriados e funciona em três períodos.

Escassez de fertilizantes

A Sociedade de Desenvolvimento do Pólo Agro-industrial de Capanda, implementou novas práticas que visam colmatar a escassez que tem se registado por parte dos camponeses da aquisição de fertilizantes.
Segundo a responsável social da direcção de desenvolvimento agrário da Sodepac, Filisbina António, com essa técnica os camponeses gastam menos no processo de produção e os lucros acabam por ser maiores.
Referiu que, no mesmo âmbito os camponeses beneficiaram de novas técnicas de combate às pragas e doenças das culturas, bem como de cultivo em faixa.
Com vista a dinamizar a produção dos camponeses instalados no Pólo Agroindustrial de Capanda (PAC), no âmbito do projecto de agricultura familiar, foram distribuídas 1.300 cartilhas de boas práticas agrícolas aos camponeses de 27 comunidades, adjacentes ao Pólo Agroindustrial de Capanda, bem como também aos estudantes do Instituto Médio Agrário de Malanje (IMAM), com vista a melhorar as boas práticas de cultivo” disse”.
As cartilhas, referiu, Felisbina António, tem como objectivo, ampliar as boas práticas agrícolas de uma forma sustentável com o foco nas questões ambientais e no uso dos recursos naturais.
Além das cartilhas os camponeses que exercem actividades na região do PAC, recebem periodicamente formações que visam melhorar a qualidade e o aumento da produção” acrescentou”.
Por seu turno, os camponeses Maria Manuel e Fernando Dombe realçaram que desde a implementação do projecto de agricultura familiar, os camponeses neles inseridos estão a conhecer melhorias nas condições de vida fruto dos ganhos registados nas vendas dos produtos
.
Novas técnicas

Os investidores e camponeses instalados no Pólo Agro-industrial de Capanda, foram capacitados sobre as regras de aplicação de compostos químicos, ou fertelizantes para combater as pragas de insectos roedores de plantas, durante um seminário realizado na sexta-feira naquela unidade fabril.
O prelector, Marcelo Moura, que é igualmente líder de apoio técnico da Biocom, disse que a formação teve como objectivo a troca de experiências de técnicas entre os produtores e investidores do Poló Agro-industrial de Capanda para melhorar a actividade diária e aumentar a produção.