As comunidades de Caissaca em Cambaxe e do sector do Tamba, no município de Cangandala, em Malanje, beneficiaram, recentemente, cada, de uma unidade de processamento de bombó, numa iniciativa do Projecto de Desenvolvimento da Agricultura Familiar e Comercialização (MOSAP II).
Com um investimento de mais de kz 9 milhões, aplicados para a construção das duas infra-estruturas, o projecto MOSAP II adquiriu, também, equipamentos de protecção individual, material de ensacamento e placa de identificação da unidade.
As moagens que vão processar 1,2 toneladas de fuba por semana, sendo 150 quilos por hora, são consideradas pelas comunidades beneficiárias, como um grande alívio na medida em que vão dar um auxílio enorme na transformação dos produtos do campo, com realce para a fuba de bombó.

Mecanização agrícola
De acordo com o coordenador do projecto Mosap II em Malanje, Paulo Sozinho, para o presente ano agrícola, cerca de 200 famílias vão ser apoiadas na comuna de Cambaxe onde foram mecanizados cerca de 100 hectares de terra para a produção de batata rena, feijão, milho e mandioca.
Nesse momento, disse, terminou a fase inicial da sementeira do feijão e do milho, mas, continua a decorrer
a plantação da mandioca.
No município de Cangandala, dos 350 hectares de terra que estão a ser mecanizados, 100 já foram concluídos onde nesse momento está a terminar a fase da sementeira de mandioca,feijão, batata e milho.
A cultura da batata rena e do milho disse “estão a ser introduzidas nesses campos pela primeira vez, porque não há uma tradição de cultivo de batata rena e de milho a uma escala superior, o que eles fazem são pequenas hortas sobretudo, no período seco”.
Através do projecto, revelou que “há condições mais do que suficientes para que tenhamos resultados satisfatórios, na produção da batata e
do milho em termos familiares”.

Satisfação
O director provincial da Agricultura, Carlos Chipoia, pediu às comunidades beneficiadas no sentido de conservarem as moageiras postas ao seu dispor na medida em que vão aliviar em grande medida a tarefa das senhoras das respectivas comunidades e circunvizinhas.
O sector do Tamba conta com mais de seiscentos habitantes. As comunidades circunvizinhas poderão também beneficiar da moageira que
foi montada naquele sector.
Ao falar em nome da comunidade, a soba Vitória Domingos agradeceu a iniciativa e lembrou que este gesto vai ajudar muito.
“Vamos deixar de apanhar maçada como no passado, depois de sair do campo, eramos obrigadas a pegar no pilão para conseguir a fuba de bombó. Agora, temos o assunto resolvido”, disse.