Angola está entre os principais mercados com boas perspectivas comerciais da construtora Mota-Engil, numa altura em que a carteira de negócios da construtora no país ronda os cerca de 850 milhões de euros.

De acordo com os resultados financeiros de 2018 que o JE teve acesso, entre as principais obras do grupo português no mercado angolano destaca-se a construção do Hospital Geral de Cabinda, assim como a reabilitação e apetrechamento da Fortaleza do Penedo em Luanda, esta última avaliada em 37,7 milhões de dólares.

Segundo o CEO para África da construtora, Manuel Mota, que falava, recentemente, em Luanda, à margem do lançamento da 1ª edição do "Prémio Manuel António da Mota" a construtora está igualmente interessada em participar no concurso público para trabalhos de asfaltagem das vias terciárias, concurso que poderá ocorrer nos próximos tempos.

Em relação a dívida que o Estado angolano tem para com as empresas lusas, o responsável sublinhou que "o Governo local paga sempre, umas vezes mais tarde outras vezes mais cedo e pensamos que será resolvida nos próximos tempos".

Referiu ainda que a empreiteira está focada em cada vez mais aumentar a qualidade das obras não só em Angola, mas também em outros países africanos, América Latina e Europa.

Volume de negócios

Manuel Mota revelou que o grupo Mota-Engil tem um volume de negócios de 2,8 mil milhões de euros e emprega em Angola 4 mil e 500 trabalhadores nos sectores da construção e ambiente, tendo garantido que a aposta nos quadros locais tem sido um dos principais desafios da empreiteira.

Questionado sobre se as empresas de construção chinesas no mercado nacional terão abrandado o ritmo de crescimento do grupo luso, ressaltou que são concorrentes como qualquer outra empresa.

"Neste sector há empresas que fazem bem e outras mal, daí que o nosso objectivo é sermos cada vez mais competitivos, o que justifica a nossa presença em Angola há 73 anos".

Este ano, o grupo prevê um crescimento na ordem dos dois dígitos no mercado nacional, depois de uma estabilização em 2018.

A Mota-Engil Angola é uma das principais construtoras neste país e uma referência no mercado, sendo ainda relevante a aposta crescente em outras áreas de negócio como o ambiente, a logística e a indústria.

Com um profundo conhecimento do mercado africano, reforçado através de um percurso de permanente expansão, o grupo Mota-Engil África conta também actualmente com uma presença em mais de 13 mercados como Moçambique, Malawi, África do Sul, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Zâmbia, Zimbabwe, Ghana, Uganda, Rwanda, Guiné Conacri, Camarões e Costa do Marfim.

O grupo tem em Portugal, Moçambique, Angola, Brasil e Colômbia os seus principais mercados para crescer no presente exercício económico.