Em declarações à Angop, o responsável disse que o projecto, ainda em experimentação, conta com quatro mil alevinos de bagre em fase de engorda e a meta é produzir 13 toneladas desta espécie, ate Março de 2018.
Além de alevinos, disse, o centro possui também cerca de 30 mil peixes da espécie tilápia (cacusso) que começam a ser colocados à disposição do mercado, desde a quarta-feira passada, para a comercialização.
Esclareceu que o peixe produzido naquele centro tem como principal destino os mercados de Luanda, através da Edipesca, empresa tutelada do Ministério das Pescas vocacionada a distribuição e venda de pescado, mas também está a trabalhar-se na criação de políticas para que a população do Cuanza Norte, região onde o mesmo está instalado, beneficie também desta produção.
Com capacidade de produzir dois milhões de larvas por ano, o Centro de Larvicultura de Tilápia, possui actualmente, em fase de criação, 150 mil alevinos, para comercialização e apoio a projectos de fomento da actividade aquícola. Na primeira fase do projecto foram produzidos mais de 650 mil alevinos todos já comercializados.
Disse que a meta é atingir, até 2018, a produção de dois milhões de alevinos, correspondente a capacidade instalada da unidade.
O empreendimento, inaugurado em 2015, é um projecto implementado pelo Ministério das Pescas e tem como principal objectivo a produção intensiva de alevinos para o fomento da piscicultura no país.