Cerca de 10 mil hectares destinados ao cultivo de arroz foram preparados este ano, no município do Mussende, província do Cuanza Sul, para produzir 720 mil toneladas de arroz, com vista a reduzir as importações e contribuir na auto-suficiência do mercado nacional, a informação foi avançada à Angop, pelo coordenador do projecto agrícola da LL Engenharia, Sungulês Bartolomeu.
O projecto vai ser executado em duas fases, sendo a primeira de três mil hectares e a posterior com os restantes sete mil hectares, cujo orçamento está avaliado em 500 milhões de dólares norte-americanos.
Segundo o responsável, está a ser montada uma fábrica de descasque do arroz e outras linhas de apoio ao processo de produção para que o produto chegue ao consumidor final.
A iniciativa empresarial vai permitir criar pelo menos mil e 500 postos de trabalho.
A LL engenharia é parte de um grupo composto por LM Wood, responsável pela transformação da madeira e uma fábrica de transformação de frutos tropicais no Wacu Cungo, cujo projecto está em curso e nesta fase há trabalho de cadastramento dos fazendeiros e camponeses, para o fornecimento de 150 toneladas de frutas/dia.
Está igualmente presente nas províncias de Luanda e Cuando Cubango.

Necessidades
Dados do Ministério da Agricultura e Florestas a que o JE teve acesso indicam que na campanha agrícola 2015/2016, o país produziu 24 mil e 576 toneladas, das quais mais de 12 mil pelas empresas agrícolas familiares e 12 pelas agrícolas empresariais, estando Angola praticamente dependente da importação do referido produto.
As toneladas de arroz produzidas no país estão muito aquém das mais de 400 mil toneladas importadas anualmente, para satisfazer as necessidades do mercado, de acordo com a fonte.
Para equilibrar a balança, Angola necessita cultivar, nos próximos tempos, mais de 300 mil hectares para cobrir as necessidades do país e reduzir a importação.
A fonte sustenta que o Ministério da Agricultura e Florestas vai continuar a trabalhar com os parceiros de desenvolvimento, no sentido de produzir as melhores variedades adaptadas às condições climáticas do país.