A República da Namíbia pretende reforçar a cooperação bilateral com Angola no sector das pescas, mormente no domínio pesqueiro, advogou hoje, quarta-feira, em Luanda, o seu ministro das Pescas, Bernard Esau.

Segundo o governante namibiano, que dá assim início a uma visita oficial de cinco dias a Angola, à frente de uma delegação do seu sector, o seu país pretende maior intercâmbio com as autoridades e empresários angolanos a nível da captura, processamento e comercialização de peixe.

“Há um projecto comum de captura de pescado em desenvolvimento entre os dois países e vamos abordar a necessidade de maior envolvimento da parte angolana no que diz respeito à captura e processamento de pescado”, sublinhou.

Salientou que existem empresas privadas angolanas e namibianas envolvidas nesse quadro, com as quais os governos dos dois países estão a trabalhar.

No entanto, disse que embora existam empresas privadas namibianas a operar em Angola do sector das pescas, as autoridades do seu país gostariam de ver reforçada a presença do empresariado angolano na Namíbia.

O ministro considerou excelentes as relações de amizade e de cooperação entre os dois países, enfatizando que no domínio das pescas, a nível multilateral, Angola e a Namíbia são membros da Corrente Fria de Benguela.

A comitiva do ministério das Pescas da República da Namíbia, composta por quatro funcionários seniores, chegou hoje, quarta- feira, a Luanda, dando assim início a uma visita oficial de cinco dias a Angola, com vista ao reforço da cooperação entre ambos os países.

No Aeroporto 4 de Fevereiro, a delegação namibiana recebeu cumprimentos de boas-vindas da ministra angolana das Pescas, Victória Francisco de Barros Neto.