O novo tarifário de energia que entra em vigor no dia 15 de Julho para os consumidores de categoria social (clientes com capacidade reduzida em termos de consumo) vai manter-se a 2,46 kwanzas o quilowatt, enquanto que para os clientes com consumo abaixo de 200 quilowatts o valor passa de três para 6,41 kwanzas.
Segundo um comunicado do Fundo Monetário Internacional (FMI), o reajuste foi feito igualmente na “categoria doméstica geral”, actualmente designada “categoria doméstica monofásica”, onde se encontram integrados a maioria dos consumidores de electricidade do país, passando dos 6,53 kwanzas para 10,89 kwanzas, representando um aumento de 66 por cento.
Já para os clientes de “categoria doméstica especial”, agora designados por “categoria doméstica trifásica” - grupo de maior capacidade e consumo - cujo preço cobrado integra a produção e transporte, passa dos 7,05 kwanzas para 14,74.
Para a categoria indústria, o preço sai dos 7,05 kwanzas para os 12,83, enquanto que o comércio e serviços, que pagavam 14 kwanzas, passam agora a integrar a categoria doméstica trifásica.
Segundo o presidente do Conselho de Administração do Instituto Regulador dos Serviços de Electricidade e de Águas (IRSEA), Luís Mourão, citado pela Angop, o cliente final pagava em média 6,05 kwanzas o quilowatt e agora vai pagar 12,82 kwanzas, um incremento em todas as categorias de 97 por cento.