Os trabalhos para a construção da centralidade habitacional de Ondjiva, província do Cunene, deram início, na passada terça-feira, com a assinatura de um auto de consignação que contou com a presença da ministra do Urbanismo e Habitação, Branca do Espírito Santo.
Assinaram o auto de consignação, os presidentes dos Conselhos de Administração da Imogestin e o da construtora chinesa Citic Construction Ltd, respectivamente, Rui Cruz e Hu Ping.
A centralidade, a ser construída no Ekuma (arredores de Ondjiva), numa área de 15 hectares, terá três mil residências do tipo T3 e numa primeira fase serão construídos 212 apartamentos integrados em 14 edifícios de quatro pisos cada um. Terá 12 unidades comercias, um posto policial e uma escola primária.
A par dos apartamentos, a centralidades irá dispor de outras infra-estruturas como iluminação pública, arruamentos, parque de estacionamento para 466 viaturas e zona verde de 8 mil e 388 metros quadrados.
As obras terão a duração de 16 meses e vai criar 900 novos postos de trabalho directos. Deste número 200 serão ocupados por mão-de-obra chinesa e 700 por angolanos.
Na ocasião, a ministra do Urbanismo e Habitação, Branca do Espírito Santo, disse que o Executivo angolano está atento as inúmeras necessidades dos angolanos e a habitação constitui um factor crucial para a melhoria das condições de vida das pessoas.
A governante explicou que o aumento da oferta de moradias condignas será um facto, com término das obras dentro de 16 meses.
A juventude e a população em geral irão realizar o sonho da casa própria, pois estarão disponíveis 212 apartamentos do tipo T3, uma realidade inquestionável quanto a facilidade do acesso habitações condignas e em zonas já urbanizadas, referiu a responsável.
A construção da centralidade representa maior oferta de moradias condignas para à população e emprego para a juventude. O Executivo para colmatar a carência de habitações, bem como conferir dignidade e comodidade habitacional à população.
Já o governador do Cunene, Kundi Paihama, disse que a província testemunha um ganho que vai mudar a imagem arquitectónica da região.
Assistiram a cerimónia membros do governo, autoridades tradicionais, representantes de igrejas, partidos políticos e população em geral.
Durante a sua estadia, a ministra Branca do Espírito Santo, visitou o complexo turístico de Oihole, no município de Namacunde, 36 quilómetros a norte de Ondjiva, capital do Cunene, onde repousam os restos mortais do Rei Mandume ya-Ndemufayo.