A primeira fase das infra-estruturas integradas de Caxito, capital da província do Bengo, iniciadas em Maio de 2017, poderão terminar no final deste ano, anunciou, na passada terça-feira, naquela Caxito, a governadora provincial, Mara Quiosa.
O projecto orçado em mais de 69,1 milhões de dólares norte-americanos, está enquadrado no Programa Nacional de Desenvolvimento e comporta a construção e reabilitação da rede viária, sistema de abastecimento de água potável, rede de drenagem de águas pluviais, estação de tratamento de águas residuais, iluminação pública e telecomunicações.
Actualmente está a ser feito o lançamento das redes técnicas para de seguida enterrá-las e fazer-se a compactação dos solos, a construção das sub-bases e por fim colocar o tapete asfáltico.
“É uma obra que está a criar alguns constrangimentos no trânsito rodoviário, mas que quando estiver terminada deverá trazer alguma urbanidade para a nossa cidade”, explicou a governadora.
Sobre a construção da nova rede de distribuição de água destinada ao bairro da Açucareira, numa extensão de cerca de nove quilómetros, a governante disse que a obra decorre a bom ritmo.
A governadora visitou igualmente as obras do Banco de Urgência do Hospital Geral do Bengo (orçadas em 360 milhões de kwanzas, deverão terminar em Novembro), da rede de distribuição de água na Açucareira, escolas do I ciclo e primária do Musseque Cabele (quando estiverem concluídas em Outubro deste ano, vão beneficiar cerca de 2.900 alunos) e do Panguila Velho
(comuna da Barra do Dande).
“A questão financeira é um problema que está a ser ultrapassado, por isso é que a obra voltou a ter o seu ritmo normal”, disse.A primeira fase das infra-estruturas integradas de Caxito, capital da província do Bengo, iniciadas em Maio de 2017, poderão terminar no final deste ano, anunciou, na passada terça-feira, naquela Caxito, a governadora
provincial, Mara Quiosa.
O projecto orçado em mais de 69,1 milhões de dólares norte-americanos, está enquadrado no Programa Nacional de Desenvolvimento e comporta a construção e reabilitação da rede viária, sistema de abastecimento de água potável, rede de drenagem de águas pluviais, estação de tratamento de águas residuais, iluminação
pública e telecomunicações.
Actualmente está a ser feito o lançamento das redes técnicas para de seguida enterrá-las e fazer-se a compactação dos solos, a construção das sub-bases e
por fim colocar o tapete asfáltico.
“É uma obra que está a criar alguns constrangimentos no trânsito rodoviário, mas que quando estiver terminada deverá trazer alguma urbanidade para a nossa cidade”, explicou a governadora.
Sobre a construção da nova rede de distribuição de água destinada ao bairro da Açucareira, numa extensão de cerca de nove quilómetros, a governante disse que a obra decorre a bom ritmo.
A governadora visitou igualmente as obras do Banco de Urgência do Hospital Geral do Bengo (orçadas em 360 milhões de kwanzas, deverão terminar em Novembro), da rede de distribuição de água na Açucareira, escolas do I ciclo e primária do Musseque Cabele (quando estiverem concluídas em Outubro deste ano, vão beneficiar cerca de 2.900 alunos) e do Panguila Velho
(comuna da Barra do Dande).
“A questão financeira é um problema que está a ser ultrapassado, por isso é que a obra voltou a
ter o seu ritmo normal”, disse.