O governador do Moxico, João Ernesto dos Santos “Liberdade” anunciou que o orçamento da província para o exercício económico 2015 é de 12 mil milhões de kwanzas, e vai atender projectos ligados ao plano de desenvolvimento da província, com destaque para os sectores produtivos, nomeadamente o da energia e águas, infra-estruturas rodoviárias, turismo, habitação e geologia e minas.

Em entrevista ao JE, João Ernesto dos Santos, afirmou que apesar do orçamento ser inferior em comparação ao ano passado, o governo local vai continuar a executar o programa estabelecido e garantir os principais serviços essenciais básicos à população.

O governante considerou positivo o plano de execução das acções do governo da província e das administrações municipais, quer no quadro do programa de luta contra à pobreza e do investimento público (PIP), o que tornou possível a realização de várias actividades programadas, apesar de se ter registado alguma parte dos projectos a transitar para o ano 2015.

Energia eléctrica
Para João Ernesto dos Santos “Liberdade”, o fornecimento de energia eléctrica à cidade do Luena ainda não é suficiente, devido ao crescimento habitacional. Segundo avançou, o sector tem vindo a trabalhar com empresas, tendo adjudicado vários projectos, onde se destaca a aquisição de uma nova central térmica, com capacidade para atender a população da cidade do Luena, uma vez que a actual não satisfaz a elevada procura.

O governador garantiu que estão a ser criadas as condições institucionais entre o Governo da Província do Moxico e o Ministério da Energia e Águas, no sentido de se ter na província um sistema de fornecimento de energia eléctrica com capacidade para atender as necessidades.

Sobre o abastecimento de água potável à cidade do Luena, o governador adiantou que os primeiros ensaios feitos a partir do novo sistema são animadores, tendo garantido que no primeiro semestre de 2015, o governo local vai proceder a inauguração deste empreendimento, para garantir água potável aos habitantes da cidade do Luena.

Alerta
Falando dos incumprimentos dos prazos na execução das obras, por parte das empresas que ganharam os concursos públicos para a execução de várias empreitadas a nível provincial, o governador afirmou que tais casos resultam do mau estado das vias de acesso.
O responsável provincial acrescentou que os prazos estabelecidos algumas vezes não têm tido em conta os problemas existentes na transportação do material para locais onde as obras são executadas.

Para acautelar esta situação, referiu que na última sessão ordinária do conselho da província, criou-se uma comissão que se encarregará no acompanhamento das empresas de construção com obras em condições de atraso.

Apostar na indústria
Falando sobre o sector industrial, o governador chamou atenção à classe empresarial no sentido de apostar fortemente neste sector, e sublinhou, que vai continuar a viabilizar estratégias para revitalizar o potencial económico que no passado já se fazia sentir na província, embora em menor escala.

Referiu que o Governo está atento, e estão a ser criadas condições para promover iniciativas ligadas ao crescimento económico da província, aproveitando a circulação do comboio do Caminho-
-de-Ferro de Benguela, assim como os projectos ligados a reabilitação da estrada Cazombo que liga o país à vizinha República da Zâmbia.

Mais dinâmica
Ao referir sobre o sector turístico, já que o Moxico revela grandes potencialidades como é o caso do Lago-Dilo, Calundo, Mulondola e as quedas do Luanguinga, no município dos Bundas entre outros, João Ernesto dos Santos, voltou a pelar o sector privado, no sentido de criar iniciativas de financiamento junto dos operadores bancários na província para alavancar este sector que tem muito a contribuir na arrecadação de receitas para o Estado.

Na ocasião, o responsável afirmou que o governo provincial tem vindo a apoiar as associações ligadas ao sector pesqueiro, no sentido de revitalizar a exploração do pescado fluvial na província.

Ainda assim, João Ernesto dos Santos, disse existirem poucos resultados ou quase nada e exortou maior organização, fiscalização e controlo desta actividade.

Apoio a agricultura
Questionado sobre a paralisação de crédito agrícola, João Ernesto dos Santos esclareceu que os bancos sempre se mostraram disponíveis para conceder créditos, mas a maior preocupação, reside no facto de os primeiros beneficiários ainda não terem feito o retorno do dinheiro recebido.

Sobre esta situação, o governador apelou aos camponeses nesta condição no sentido de fazerem reembolsar os valores recebidos para posteriormente os bancos criarem novos mecanismos e condições para os próximos financiamentos.

No sector habitacional o governador anunciou que o processo de construção de “200 fogos habitacionais” está no bom caminho, tendo garantido que já existem orientações por parte do Executivo, para proceder a venda das primeiras moradias tão logo as condições forem criadas, como são os casos de água e energia, melhoramento de laceis e arruamentos.

Quanto a exploração de recursos minerais e florestais, o governador afirmou que existem na província algumas empresas licenciadas para o efeito, mas referiu que em termos de exploração artesanal de diamantes, embora se tenha atribuídas as senhas, ainda não existe resultados.

Por fim, o governador do Moxico, pediu mais trabalho por parte dos gestores públicos e nas próximas acções o Governo cumpra com os programas gizados para melhoria de vida da população.