O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) vai disponibilizar cerca de 360 milhões de dólares para acudir as populações assoladas pela seca na região Sul de Angola, informou na terça-feira, em Luanda, o representante residente da instituição da ONU no país, Henrik Fredborg Larsen.
O responsável que falava, durante o lançamento da Rede Nacional de Responsabilidade Social Empresarial (RARSE) acrescentou que a Agência da ONU já disponibilizou 400 milhões de dólares para a execução de vários projectos sociais.
O objectivo é de promover a criação de uma plataforma que articule os projectos das várias empresas com as necessidades da população e apoiar o Governo a diminuir o quadro da seca que afecta cerca de 1,2 milhões de pessoas.
Segundo a fonte, o terceiro Fórum de Responsabilidade Social e Empresarial promoveu a articulação dos projectos das empresas associadas com o propósito de reduzir as necessidades das populações.
“O engajamento do sector privado na promoção dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) é fundamental para que os países possam alcançar o desenvolvimento inclusivo e sustentável que todos esperamos”, disse.
Para ele, a responsabilidade social e empresarial é hoje entendida como parte integrada do “core-business” das empresas, através dos investimentos com impacto social e que promovem a sustentabilidade.
Por isso, sustentou, o PNUD está a trabalhar com o sector privado virado no ODS e na promoção acções de grande impacto que possam ser um exemplo de mobilização de recursos financeiros e de recursos humanos em prol ao desenvolvimento.
Com o lançamento da RARSE, pretende-se, também, promover a coordenação e a interacção entre as pessoas interessadas em desenvolver acções conjuntas, definindo metas para apoiar os esforços de desenvolvimento nacional e de cidadania.
A acção visa igualmente promover a criação de uma plataforma que articule os projectos de responsabilidade social das várias empresas com as necessidades da população angolana.

Multiplicar o investimento
Na ocasião a presidente do Conselho da Administração da Fundação Sol, Tânia Garcia, defendeu que além de se multiplicar o investimento com impacto social é necessário unir esforços com outros intervenientes para melhores resultados.
Por sua vez, Leonor Machado que representou a empresa “Thelrideglobal” no evento, disse que as grandes empresas como as petrolíferas, e outras multinacionais têm o direito de praticar acções sociais para reduzir a pobreza da região onde operam.
O fórum é resultante da assinatura de um memorando de entendimento entre a “The Bridge” e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), agência especializada das Nações Unidas que trabalha com países membros da organização mundial na promoção do desenvolvimento sustentável e na erradicação da pobreza.
Durante o fórum foram abordados temas divididos em quatro painéis, ligados a importância de uma Rede de Responsabilidade Social Empresarial em Angola, a Implementação da RARSE em Angola, o Modelo e Governança da RARSE e a sua componente jurídica.
Em Angola, o PNUD apoia o país no processo de graduação da categoria dos Países Menos Avançados (PMA), na elaboração dos relatórios nacionais de desenvolvimento humano, bem como na integração dos ODS no Plano Nacional de Desenvolvimento e na planificação do orçamento nacional, um processo com uma ampla participação e liderança do Governo de Angola e outros actores, tanto nacionais como internacionais.
Participaram no encontro gestores, empresários, representantes do Executivo, de empresas públicas e privadas, ONG, profissionais da comunicação e de marketing, entre outros.O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) vai disponibilizar cerca de 360 milhões de dólares para acudir as populações assoladas pela seca na região Sul de Angola, informou na terça-feira, em Luanda, o representante residente da instituição da ONU no país, Henrik Fredborg Larsen.
O responsável que falava, durante o lançamento da Rede Nacional de Responsabilidade Social Empresarial (RARSE)  acrescentou que a Agência da ONU já disponibilizou 400 milhões de dólares para a execução de vários projectos sociais.
O objectivo é de promover a criação de uma plataforma que articule os projectos das várias empresas com as necessidades da população e apoiar o Governo a diminuir o quadro da seca que afecta cerca de 1,2 milhões de pessoas.  
Segundo a fonte, o terceiro Fórum de Responsabilidade Social e Empresarial promoveu a articulação dos projectos das empresas associadas com o propósito de reduzir as necessidades das populações.
 “O engajamento do sector privado na promoção dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) é fundamental para que os países possam alcançar o desenvolvimento inclusivo e sustentável que todos esperamos”, disse.
Para ele, a responsabilidade social e empresarial é hoje entendida como parte integrada do “core-business” das empresas, através dos investimentos com impacto social e que promovem a sustentabilidade.
Por isso, sustentou, o PNUD está a trabalhar com o sector privado virado no ODS e na promoção acções de grande impacto que possam ser um exemplo de mobilização de recursos financeiros e de recursos humanos em prol ao desenvolvimento.
Com o lançamento da RARSE, pretende-se, também, promover a coordenação e a interacção entre as pessoas interessadas em desenvolver acções conjuntas, definindo metas para apoiar os esforços de desenvolvimento nacional e de cidadania.
A acção visa igualmente promover a criação de uma plataforma que articule os projectos de responsabilidade social das várias empresas com as necessidades da população angolana.

Multiplicar o investimento
Na ocasião a presidente do Conselho da Administração da Fundação Sol, Tânia Garcia, defendeu que além de se multiplicar o investimento com impacto social é necessário unir esforços com outros intervenientes para melhores resultados.
Por sua vez, Leonor Machado que representou a empresa “Thelrideglobal” no evento, disse que as grandes empresas como as petrolíferas, e outras multinacionais têm o direito de praticar acções sociais para reduzir a pobreza da região onde operam.
O fórum é resultante da assinatura de um memorando de entendimento entre a “The Bridge” e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), agência especializada das Nações Unidas que trabalha com países membros da organização mundial na promoção do desenvolvimento sustentável e na erradicação da pobreza.
Durante o fórum foram abordados temas divididos em quatro painéis, ligados a importância de uma Rede de Responsabilidade Social Empresarial em Angola, a Implementação da RARSE em Angola, o Modelo e Governança da RARSE e a sua componente jurídica.
Em Angola, o PNUD apoia o país no processo de graduação  da categoria dos Países Menos Avançados (PMA), na elaboração dos relatórios nacionais de desenvolvimento humano, bem como  na integração dos ODS no Plano Nacional de Desenvolvimento e  na planificação do orçamento nacional,  um processo com uma ampla participação e liderança do Governo de Angola e outros actores, tanto nacionais como internacionais.
Participaram no encontro gestores, empresários, representantes do Executivo, de empresas públicas e privadas, ONG, profissionais da comunicação e de marketing, entre outros.