A informação foi prestada pelo presidente do Conselho de Administração do Pólo Agro-industrial de Capanda (PAC), Carlos Fernandes, durante a assinatura de quatro contratos de concessão de terrenos rurais às referidas empresas, que vão produzir milho, feijão, batata-doce, mandioca, banana, soja, trigo, maracujá, arroz, entre outros.
O responsável disse que isso, demonstra que os investidores acreditam no futuro do Pólo Agro-industrial de Capanda.
Carlos Fernandes assegurou que, a actividade será desenvolvida numa área de 12 mil hectares, o que representa um aumento significativo na promoção do agronegócio, proporcionando assim o emprego para muitos cidadãos e o seu bem estar.
Precisou que, o plano de irrigação prevê uma capacidade de  cerca de 37 mil hectares que ainda se encontra em análise, o que tem condicionado a aceleração do
processo promocional do pólo.
A Sociedade de Desenvolvimento do Pólo Agro-industrial de Capanda, conta com 26 concessionárias que celebraram contratos, e um investimento na ordem
dos 550 milhões de dólares.
O responsável, garantiu que a instituição que dirige vai continuar a trabalhar no sentido de se alcançarem os objectivos preconizados e aumentar

o investimento no pólo.

Reduzir as importações
O vice-governador para o sector Económico, Domingos Eduardo, que testemunhou o acto, disse que é importante os empresários continuarem interessados a investir no pólo, uma vez que podem advir resultados satisfatórios que podem contribuir na redução da
importação de alimentos.
Encorajou, igualmente, a cooperativa “Tuye kú pólo” (Vamos em frente), que foi contemplada com um camião, trezentas caixas de carregamento de hortícolas, e dois computadores para melhorar a sua actividade e aumentar a produção, para combater a fome e a pobreza, bem como também o aumento da qualidade de vida das populações.
O governante, disse ainda que no âmbito da agricultura familiar, a Sodepac é uma das principais parceiras que tem contribuído fortemente no apoio às famílias adjacentes ao pólo e  na diversificação da economia.

Mais produção

O representante do grupo empresarial Opaia, Roben Bambuca, disse que vai investir no pólo concretamente na produção de milho, cereais, soja, mandioca, entre outros.
O projecto será implementado no município de Cangandala e o valor global ronda os quatro milhões de dólares e vai gerar cerca de quatrocentos postos de trabalho.
Já o responsável da Gepedro empreendimentos, Armando Osório, afirmou que existem condições climáticas para se investir na fruticultura, com variedades de frutas nomeadamente manga, banana, abacaxi, maracujá, entre outras.