O Executivo está empenhado em desenvolver ferramentas electrónicas para a divulgação gratuita da produção feita em Angola. A afirmação é do secretário de Estado para a Economia, Sérgio Santos, quando discursava na cerimónia de apresentação do portal de Produção Nacional, tendo destacado que o projecto electrónico tem como objectivo promover a competitividade, por via do aumento da acessibilidade para os consumidores finais.
A ferramenta electrónica, segundo o secretário de Estado, vai contar com uma rede de apoio para auxiliar e com a participação das associações dos empresários nacionais.
Os produtores nacionais passam a ter disponível um portal electrónico para divulgarem os produtos que têm para comercializar, enquanto toda a informação inserida no portal ficará disponível ao público num aplicativo móvel, permitindo aos cidadãos aceder aos dados da produção nacional e aos contactos dos respectivos produtores.
A informação para o público estará disponível através de um aplicativo móvel com o nome “Feito em Angola” que pode ser carregado de forma gratuita nas lojas de aplicativo de qualquer tipo de sistema operativo de telefone.

Escala nacional
Com o aplicativo “Feito em Angola” (portal com endereço www.ppn.co.ao) todos os cidadãos podem ter no seu telemóvel e à distância de um simples “click”, os dados da produção feita em Angola, localizada nos 164 municípios do país, 518 comunas e 44 distritos urbanos.
Na ocasião, o secretário de Estado para a Economia deu a conhecer a existência de uma lista de 54 produtos, desde agrícolas, piscatórios e industriais, prioritários no processo de substituição das importações.
“Foi aprovado uma lista de 54 produtos, onde o Executivo vai dedicar a sua atenção. Numa segunda fase serão muito mais produtos. Mas numa primeira fase, serão estes para promover a aceleração dessa substituição entre as importações por produção interna”, disse.
O Executivo prevê igualmente organizar, nos municípios e cidades, feiras regulares de exposição e comercialização de produtos feitos em Angola.
O calendário desses eventos de exposição e comercialização será anunciado no aplicativo móvel Feito em Angola, a partir do qual participantes e expositores poderão registar-se.
Uma rede de gestores públicos à escala nacional poderá assegurar o funcionamento da plataforma e irá apoiar os micro e pequenos produtores a inserirem e a actualizarem as informações sobre os seus produtos por comercializar.
Os dados sobre a produção nacional, inseridos no portal, serão igualmente divulgados nos espaços de programas de televisão e na imprensa, numa ampla campanha de divulgação gratuita dos produtos feitos em Angola, promovida pelo Executivo, no âmbito da implementação do Programa de apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI).
O portal de Produção Nacional é um investimento do Executivo angolano de cerca de um milhão de kwanzas, lançado na passada segunda-feira, em Luanda, pelo Ministério da Economia e do Planeamento.
A iniciativa, poderá a partir de agora ser utilizada por todos os produtores, independentemente do tamanho da sua produção, localização e sem qualquer custo acrescido.
A plataforma informática surge como um meio mais acessível de comunicação para o mercado da produção feita em Angola, disponível para comercialização.