As valas de drenagem dos bairros periféricos da cidade do Sumbe, sede da província do Cuanza Sul, estão a beneficiar de reabilitação, no âmbito da requalificação da circunscrição.
Os trabalhos de limpeza e desassoreamento tiveram início segunda-feira e incidem sobre os bairros da Londa, São Francisco, Bombeiro e Bairro Novo.
Em declarações à Angop, a munícipe Maria Paulino disse que os trabalhos vão facilitar a circulação e melhorar a segurança das pessoas que vivem próximo às valas.
“Esperamos que o trabalho não pare por aqui, visto que no Sumbe quando chove toda a água vai para o centro da cidade”, frisou.

Facilitar a circulação
Por seu turno, António Jaime adiantou que, apesar de tardia, a obra é de louvar, uma vez que vai facilitar a circulação das pessoas em tempo de chuva.
O administrador municipal adjunto do Sumbe, Fonseca Rafael, afirmou que a empreitada deverá estar concluída na primeira quinzena de Setembro.
A cidade do Sumbe tem duas valas de drenagem, a da Comarca, que desagua no mar, e a da Serração, com término no rio Cambongo.
O desenvolvimento das infra-estruturas integradas da cidade do Sumbe, na província do Cuanza Sul, será executada em três fases e com um orçamento de 442,5 milhões de dólares americanos.
Os valores provêm de uma linha de financiamento chinês, cuja primeira fase compreende a estabilização das encostas da Quissala e Bumba, construção de residências e realojamento da população na urbanização do Cuacra, a 24 quilómetros da cidade do Sumbe.
A segunda fase servirá para custear a implantação da micro e macrodrenagem, assim como iluminação pública da cidade.
A terceira fase tem a ver com a implantação de 24 quilómetros de estrada e uma ponte com 500 metros de comprimento e 21 de largura.