O projecto de desenvolvimento, rentabilização e produção de peixe da lagoa do Ngolome, na comuna de Massangano, município de Cambambe, na província do Cuanza Norte, deverá incorporar, no decurso do primeiro trimestre do ano em curso, a componente agrícola para o suporte das suas actividades.
A garantia foi dada à Angop, pela secretária de Estado das Pescas, Maria Antónia Nelumba, aclarando que o projecto abarcará inicialmente a instalação de um campo de cultivo de spirolina (alga) destinada a produção de alimento infantil, cujas dimensões não revelou.
Disse tratar- se de uma alga cultivável, bastante nutritiva, que serve de suplemento alimentar para as crianças, adicionada as papas, leite, saladas e outros alimentos, que influenciam positivamente na dieta dos petizes.
A spirolina quando produzida em grande escala, o excedente servirá para o comércio, quer no mercado nacional, como para exportação, fazendo com que os rendimentos do centro de formação e processamento do pescado, não esteja somente focado na exploração do peixe.
Está tarefa, referiu, faz parte das estratégias gizadas pelo Estado no âmbito da diversificação da economia nacional, onde a agricultura joga um papel importante, constituindo uma iniciativa que vai igualmente estimular o crescimento multiforme da comunidade de pescadores do Ngolome.
“Por altura da sua inauguração (Outubro de 2015), ficou adiado o lançamento da componente agrícola, aguardando pela institucionalização da direcção do centro, criada recentemente, de quem se espera uma gestão eficaz, visando a justificação do investimento feito”.
À luz da diversificação da sua actividade, será ainda promovido na circunscrição, um ciclo de formação técnico-profissional em artes e ofícios, para o suporte dos pescadores e seus descendentes, na época da desova do cardume, em que se verifica a suspensão das actividades piscatórias.