Até Setembro do ano em curso, a província do Moxico vai ganhar um pólo de desenvolvimento agro-industrial, que está a ser desenvolvido na localidade de Camaiangala, município de Camanongue.

O projecto concebido no âmbito do programa de investimento público vai produzir numa primeira fase as culturas de milho, feijão, soja e carne e contribuir no combate à fome e à pobreza na região Leste do país.

Em fase de conclusão, a infra-estrutura vai ter uma área industrial com moagem de milho, fábrica de ração animal, matadouro para suínos, silos para armazenamento de grãos, uma oficina com centro de formação, uma estação agro-meteorológica digital, área administrativa, laboratórios, centro de saúde, três naves residenciais com capacidade para 55 funcionários, duas cozinhas, dois refeitórios e dois armazéns.

O ministro da Agricultura, Afonso Pedro Canga, mostrou-se satisfeito pelo trabalho que está a ser desenvolvido desde 2013 e disse que o projecto caminha conforme foi aprovado, tendo perspectivado uma boa colheita.

O ministro salientou que o funcionamento do projecto vai proporcionar mais alimentos e oferta de oportunidades de emprego sobretudo aos jovens residentes.

A produção do projecto, referiu, vai permitir a redução da importação de produtos de consumo no país em particular a província do Moxico e valorizar cada vez mais o produto nacional.

Para o ministro da Agricultura, estes projectos que o Executivo angolano tem vindo a desenvolver, tem como objectivo diminuir a fome e a pobreza, criar oportunidade de emprego e modernizar o sistema de agricultura no país.

Afonso Pedro Canga prevê que o projecto seja concluído em Setembro próximo com a instalação de infra-estrutura e fundamentalmente atingir a fase plenária de produção.

Área de implementação
O projecto ocupa uma área de 5.000 hectares de terra, dos quais 1.200 foi desbravado e 650 foi cultivado na primeira época da presente campanha agrícola.

O gestor de infra-estruturas, o engenheiro Carlos Paim afirmou que esta época agrícola foram semeados 500 hectares de terra para milho, 50 de feijão igual número de soja e prevê colher até Abril próximo, 3 mil toneladas de milho.

Para a próxima campanha agrícola de 2015 a 2016 o projecto Camaiangala perspectiva cultivar mais de 2.000 hectares e neste momento está na fase de preparação de solo para 1.500 hectares de milho.

O projcto de desenvolvimento agro-industrial do Camaiangala tem 72 técnicos e com aumento da produção pretende-se aumentar para 200 o número de técnicos entre angolanos e estrangeiros.

“A área de instalação de infra-estruturas recebeu 14 técnicos recém-formados na China e pretende-se recrutar mais especialistas para operadores de máquina, mecânica e operários de campo com intuito de reforçar a produção na próxima campanha agrícola.

Avaliado em mais de 7,4 mil milhões de kwanzas (70 milhões de dólares americanos), o projecto prevê uma produção anual estimada em 1.500 toneladas de milho, 1.200 de soja, 1.000 toneladas de feijão e 3.000 quilos de carne suína dia.

A área industrial do projecto, inclui uma unidade de transformação de milho em fuba com capacidade anual de 10.400 toneladas, igual numero de ração animal, um matadouro para suínos equipado de câmara de congelação e conservação.

Aposta forte
Além deste projecto, a província do Moxico, ganhou em 2012 o primeiro pólo agrícola de Sacassanje que tem vindo a produzir ovos alface, pepino, cebola, tomate, repolho, couve, beringel, milho, bem como a produção de carne caprina.

O ano passado o centro agrícola de Sacassanje, produziu mais de 4 milhões ovos, 33.159 quilos de tomate, 2.640 de pimenta, 5.041 de bringela, 3.242 de pepino e 759 quilos de alface respectivamente.

A fase experimental produziu 128 quilos de melancia, 111 de carne caprina, mais de 3.000 galinhas , 17.571 quilos de ração animal e 39 de plantas diversas.

Com a evolução da produção, o pólo agro-industrial tem fornecido produtos nas províncias da Lunda Sul e Norte e algumas unidades hoteleiras da capital do país.

Durante a sua estadia ao Luena capital da província do Moxico, o ministro da Agricultura visitou também o projecto agrícola de Sacassanje, campo de produção de soja da associação Tchek na localidade de Luconha e esteve presente no acto de leilão de gado na comuna de Lucusse.