Além da distribuição de lotes para as populações construírem, o projecto está também a fazer a requalificação e o ordenamento de terrenos da aldeia do Subatando, devido ao crescimento “desordenado” e das construções de oficinas, estaleiros e pequenas indústrias.

Para se pôr cobro a esta situação, a parceria entre a empresa Profi-Urb e a administração municipal de Cabinda estão a preparar espaços adequados, com dimensões que vão de 1 a 5 hectares, para a construção destas infra--estruturas.

“Para ter acesso ao lote, o cidadão deve manifestar interesse em adquirir o espaço na Profi-Urb, administração municipal ou ainda na secretaria provincial de Urbanismo”, revelou o gestor da empresa.

Armando do Carmo disse que a iniciativa conjunta vai continuar a ceder espaços condignos, para que se possa construir casas e outros empreendimentos.