Os municípios do Leua, Cameia e Kamanongue, na província do Moxico, vão contar até ao segundo semestre do ano em curso com novas infra-estruturas sociais, no âmbito do programa de investimento públicos (PIP) e de combate à pobreza. A informação foi avançada durante a visita que o governador provincial, João Ernesto dos Santos “Liberdade”, efectuou recentemente a estas três localidades, para constatar de perto o nível de execução das obras em curso.

Na ocasião, a directora provincial do Ordenamento, Urbanismo, Território e Ambiente, Amélia Masseca, afirmou que 80 por cento das obras vão terminar até ao final do ano em curso. Amélia Masseca garantiu que as obras decorrem a bom ritmo, apesar de alguns constrangimentos que os empreiteiros têm estado a enfrentar, tendo apelado para o cumprimento das cláusulas contratuais.

A grande dificuldade que foi constatada a nível dos três municípios reside no atraso das obras, pelo facto de estas regiões estarem localizadas nas chanas, o que tem inviabilizado a transportação do material de construção durante a época chuvosa. A responsável pediu aos empreiteiros para intensificarem o ritmo de trabalho para que a maioria das obras seja concluída como prevê os contratos.

Obras avançam
No município de Cameia, estão em curso obras de construção de quatro escolas com 14 salas de aula, bem como 100 fogo habitacionais, além de uma esquadra policial. Já no município do Leua, a comitiva governamental, chefiada por João Ernesto dos Santos, avaliou igualmente as obras de construção de quatro escolas, 100 casas e campo multiuso.

Em Kamanongue, foram visitadas as obras de construção de seis escolas com capacidade para 14 salas de aula, dois postos de saúde, que estão a ser erguidos nas localidades do Mucolongo e Dongue, um mercado com capacidade para 56 lugares, que está a nascer na região do Mussala, um campo multiuso para 5.000 espectadores, bem como as obras de construção de 100 habitações que estão a ser construídas na sede municipal.

A directora provincial do Ordenamento, Urbanismo, Território e Ambiente sublinhou que as novas infra-estruturas em curso, em cada um dos três municípios, vão ajudar na melhoria dos serviços sociais básicos e, consequentemente, evitar deslocações da população para outras localidades à procura destes serviços. A província do Moxico tem uma área de 223. 023 quilómetros quadrados e a sua população é de aproximadamente 750.000 habitantes. É constituída pelos municípios de Alto Zambeze, Bundas, Camanongue, Léua, Luacano, Luau, Luchazes, Lumeje e Moxico.