O governo  da província  do  Moxico pretende concluir até ao fim do primeiro trimestre do ano em curso,  as obras de construção de várias infra-estruturas, inseridas  no programa de Investimentos Público PIP e do Plano Nacional de Desenvolvimento (PND).

Entres  as obras  a serem  concluídas constam nove escolas com 14 salas de aula cada, casa da cultura, centro de menores com a capacidade para 80 crianças,  um condomínio para professores universitários, dois campos-multiusos e uma  creche  para albergar 200 crianças.

O director provincial das Obras Pública e Construção, Osvaldo Pinto, em entrevista ao JE disse que o governo local tem em execução mais de 100 projectos a nível da região, o que vai facilitar maior aproximação dos serviços básicos  junto das comunidades.

Balanço positivo
Satisfeito com o  nível de execução dos programas durante o exercício económico 2013, Osvaldo Pinto  considerou de proveitoso o grau de implementação das acções, apesar de se registar  ligeiros atrasos na conclusão de algumas obras por parte de certos empreiteiros.

O responsável garantiu ainda a conclusão para o primeiro semestre deste ano,  de 60 escolas, dois hospitais, sendo um   provincial e municipal, sistema de fornecimento de água e energia eléctrica, centro de artes  e ofícios, além de dois edifícios onde vai funcionar as direcções provinciais.
 
Consta ainda na listas das infra-estruturas a serem entregues no primeiro semestre, a maternidade municipal do Moxico, com capacidade para 100 camas e a escola diocesana da Igreja católica.

Novas infra-estruturas
No quadro do programa de investimentos públicos,   prevê para o mesmo período a inauguração do  novo aeroporto do Luena, uma infra-estrutura de grande envergadura   que  vai oferecer aos passageiros maior comodidade com serviços mais personalizados.
“Todos estes serviços públicos,  permitirão que a população tenha uma estabilidade económica e financeira, capaz de reduzir o  custo de vida  da população desta região”, disse.

Ainda  no  âmbito do  programa municipal integrado  de desenvolvimento rural e do  combate à fome e pobreza, referiu,   o governo da província vai formalizar  no primeiro semestre,  a entrega oficial   de  fogos habitacionais destinados aos jovens  em todos os municípios com excepção do Moxico.   

Consta igualmente do plano de inaugurações para os próximos meses,  a construção da ponte sobre o rio Zambeze e dois institutos médios agrários nos municípios do Alto Zambeze e Luau, respectivamente.  

Projectos
Osvaldo Pinto garantiu que o governo da província está ciente das suas responsabilidades, por isto, referiu, tem disponibilizado avultadas somas para a construção de infra-estruturas em todos os municípios, a fim de minimizar as dificuldades da população.  
O director das Obras Públicas assegurou que até ao final do ano, o governo pretende  concluir todas as obras em curso na província e garantir maior acesso dos serviços  básicos aos cidadãos em toda parte da província.

Características
Moxico tem uma área de 223.023 quilómetros quadrados e com uma população aproximada de 750.000 habitantes. A província conta com nove municípios, nomeadamente, Alto Zambeze, Bundas, Camanongue, Léua, Luacano, Luau, Luchazes, Lumeje e Moxico.
 
A região produz massango, batata doce, citrinos, girassol, vielo, arroz, mandioca, milho, madeira. Na pecuária, destaca-se a produção da carne bovina. Naquela localidade existe a extração dos seguintes minérios: carvão, cobre, manganês, ferro, diamantes, ouro, volfrâmio, estanho e milibdénio, urânio, lenhite e conta com uma indústria forte de materiais de construção.

A pesca artesanal destaca-se também na região, visto que o Moxico possui diversos rios, lagos e lagoas. Nas estações chuvosas esta potencialidade é estendida, visto que muitas regiões da província alagam-se. Existe grande exploração florestal nos municípios de Moxico (Chicala, Cangumbe, Lungué-Bungo), Camanongue, Léua (Chafinda), Luau (Ngoana) e Alto Zambeze
(Cavungo e Macondo).