Um total de 100 expositores nacionais e estrangeiros estão a participar desde ontem até ao dia 29, em Luanda, na 14ª feira internacional de equipamentos e material de construção, obras públicas, urbanismo e arquitectura.
O evento, inaugurado pelo ministro da Construção, Manuel Tavares de Almeida, decorre sob o lema “Projektar o futuro construindo o presente”, numa área bruta de 5.000 metros quadrados, e é uma co-organização da empresa Eventos Arena com o apoio do Ministério da Construção e Obras Públicas e da Associação dos Industriais de Materiais de Construção de Angola, que tem como objectivo apresentar aos visitantes o de melhor se produz em Angola.
Numa altura em que a diversificação da economia nacional e o fomento ao consumo de produtos nacionais constituem prioridade do Governo angolano, com o propósito de se ultrapassar a actual crise financeira, no evento serão expostos produtos nacionais, mostrando as potencialidades do país.
Em declarações ao JE, Manuel Novais, ligado à empresa Eventos Arena, organizadora do certame, disse que entre as várias novidades destaca-se a apresentação de novos artefactos de betão, bem como um “WC portátil” equipamento que será apresentado pela primeira vez ao público, fabricado na província da Huíla.
Estão na Projekta, expositores directos e indirectos, com particular destaque para as empresas nacionais, provenientes das província de Luanda e Huíla.
Segundo os promotores, o evento de carácter internacional, assume-se como uma plataforma privilegiada para estabelecer parcerias, novos contactos e realizar negócios entre os empresários  estrangeiros e angolanos.
Nesta fase de mudança do país, diz a fonte, é imperativo a aposta no sector da construção e imobiliário para o desenvolvimento de infra-estruturas, com vista à melhoria de  vida da população angolana.
“A Projekta 2017 tem como principal objectivo impulsionar o mercado da construção, obras públicas, urbanismo e arquitectura, fomentando oportunidades de contacto, negócio e investimento internacional nesta  área”, destaca o responsável.

Reflexões

Durante três dias, a maior bolsa do sector vai abordar vários temas ligados ao sector, numa conferência cujo tema principal será os “Modelos de Atracão de Investimento no Sector da Construção”.
Serão aflorados temas ligados ao “ contexto actual: desafios e oprtunidades”, “Critérios de captação de recursos e financiamento ao sector” e “ Ética e transparência nos contratos de construção”. Prevê-se ainda debates ligados ao “Crescimento sustentável: a aposta no mercado africano” bem como o “Impacto dos investimentos do sector da construção:  a Poltec um caso de sucesso”.

Acessos

A feira está aberta desde o dia 26 a 29, cujo acesso por bilhete individual/dia custam 1.500 kwanzas (1hora antes do inicio da feira até 30 minutos
antes do encerramento diário).
Os convites são pessoais e dão acesso a uma única entrada. as crianças até 14 anos não necessitam de convite, mas têm de entrar acompanhadas de um adulto. Estudantes universitários têm entradas gratuita, mediante a apresentação do cartão de estudante universitário válido e do bilhete de identidade (válido apenas para os dias 27 e 28).