Mais de 18 mil famílias das províncias do Cuando Cubango e Cunene vão beneficiar até 2025 de um projecto ambiental sustentável, avaliado em cerca de seis milhões de dólares americanos, com o propósito de reduzir os efeitos negativos das comunidades contra o meio ambiente e florestas sobretudo na produção de carvão e queimadas para a prática da caça e agricultura.
A informação foi avançada na passada terça-feira, na comuna do Missombo (Menongue), pelo técnico do Ministério do Ambiente, Danilo Silva, num workshop realizado na Escola Politécnica 31 de Janeiro, dirigido aos alunos, autoridades tradicionais, responsáveis das agências bancárias e a sociedade civil em geral.
O projecto que visa a neutralidade da degradação da terra e dos recursos naturais e da redução da vulnerabilidade das comunidades das eco-regiões de Miombo e Mopane, vai abranger inicialmente as comunidades que vivem ao longo das bacias do Cubango/Okavango e do Cunene.
Financiado pelo Fundo Global do Ambiente das Nações Unidas (UN), o projecto-piloto será implementado numa área de 411 hectares de florestas do Cuando Cubango e 135 hectares de florestas do Cunene.
O projecto-piloto começará a ser implementado a partir de Março de 2020 no município do Cuchi (Cuando Cubango) e vai abranger igualmente o município da Cahama, no Cunene, até 2025, com o propósito de ajudar as comunidades a fazerem uma gestão cuidada das florestas, ou seja, da biodiversidade. Referiu que, as florestas de Miombo e Mopane, dentro das bacias hidrográficas do Cubango e do Cunene sustentam cerca de 2,6 milhões de habitantes, incluindo pequenos agricultores, pastores e pescadores de pequenas escalas.