Seis ravinas de grande proporção que se abriram nos últimos dias nas estradas nacionais Nº 140 e 220, que ligam a cidade do Uíge, sede capital da província, com os municípios de Mucaba, Damba e Maquela do Zombo, podem impedir a circulação rodoviária, caso não sejam estancadas em breve. As ravinas que apresentam grandes profundidades já destruíram partes das estradas e representam um perigo para quem circula nas estradas. Automobilistas e habitantes que frequentam as zonas clamam por uma intervenção urgente do Governo, visto que dentro de dias, os municípios de Mucaba, Damba e Maquela do Zombo, na fronteira com a RDC podem ficar isolados do resto da província. As chuvas que se abateram sobre a província causaram, também, grandes porções de deslizamento de terra e quedas de árvores na Estrada Nacional Nº 220, que liga a cidade do Uíge com o município de Mucaba. “A situação está a embaraçar a circulação rodoviária, para quem circula naquele troço, uma vez que a fraca visibilidade por causas das árvores que estão ao longo da via sem serem podadas, o que exige uma intervenção rápida para quem de direito”, dasabafou Roberto de Almeida, automobilista que frequenta o troço há cinco anos. Panzo Artur, de 45 anos de idade, outro automobilista que faz a rota Uíge/Maquela do Zombo lamentou a falta de sinalização “devidamente” visível nos locais afectados com ravinas, visto que algumas destruíram metades da faixa de rodagem, facto que coloca em risco a vida.

Situação preocupante
A administradora municipal da Damba, Rosa Pedro Garcia, esclareceu que a situação é preocupante e ultrapassa a capacidade financeira das administrações municipais, por isso, pede a intervenção do governo provincial bem como do Ministério da
Construção e Obras Públicas. “Tendo em conta as dimensões da ravinas e o estado avançado de degradação que apresentam, sobretudo as que se encontram juntos das localidades de Cazumbe, Quipemba e na comuna do Nsosso, bem como as que se encontram na via que liga o município de Mucaba com a Damba, ultrapassam as capacidade técnicas das administrações municipais”,
disse a administradora. Localizada no extremo Norte, a 345 quilómetros da capital do país, Luanda, a província do Uíge tem uma extensão geográfica de mais de 58 mil quilómetros quadrados, e é composta por 16 municípios e 31 comunas com uma população estimada em mais de dois milhões de habitantes.