O programa de construção e reabilitação das estradas na província do Moxico contempla para  2014, a execução de  338 quilómetros (km) entre estradas segundárias e terciárias para  permitir a circulação de pessoas e mercadorias.De 2012 a 2013,  foram asfaltadas 358 km dos troços Luena/Mamanongue,Camanongue/Dala, Luena/Lucusse, Lucusse/ /Lumbala Nguimbo, Lucusse/ /Lumbala Kaquengue, Ninda/Lumbala Nguimbo, Luau/Cazombo e Cazombo/Lumbala/Kaquengue.

Satisfação
O director provincial do Instituto Nacional de Estradas (INEA),  David Tito disse que os trabalhos  de melhoramento e requalificação das vias na província têm merecido maior atenção por parte do Executivo. Satisfeito com os resultados alcançados no ano passado, David Tito assegurou que o governo local vai continuar a trabalhar com  a mesma determinação para que a circulação de pessoas e bens na região,  seja feita com maior segurança.   

O director do Inea anunciou  ainda para este ano,  o  arranque da construção da estrada transafricana do corredor da linha  do Caminho-de- Ferro de Benguela,  entre os troços  Munhango/Luena, Luena/Leua, Leua/Lumege,  Lumege /Luacano, Luacano/Luau e Congo Democrático.

Constam ainda dos troços a serem intervencionados  neste ano, as vias que ligam Luzi/Kangamba, no município dos Luchazes e Lumbala Nguimbo/Caripande, municípios do Alto Zambeze. A província do Moxico, referiu,  tem cerca de 3.744 da rede fundamental de estradas para além de 4.327 secundárias e terciárias. O programa de reabilitação e melhoramento de estradas no Moxico, permitiu a conclusão total dos troços Luena/Lucusse, Luena/Kamanongue, Kamanongue/Dala, numa distância de 285  quilómetros de estrada.

Benefícios
A conclusão destas vias,  além de garantir o trânsito mais seguro e fluído,  está a permitir reduzir os  percursos assim como a diminuir os custos de  fretes na transportação de mercadorias.  

A fonte garantiu que registar-se a cobrança de preços acessíveis, na maioria dos transportes rodoviários e com o melhoramento das vias, muitas pessoas optaram viajar de viaturas.

“O Executivo angolano tem vindo a dar resposta àquilo que  foram as promessas no que toca à situação de melhoramento das vias de acesso em todo o país”, disse.

O responsável revelou que com a construção e reabilitação  de vias de acesso, assim como a entrada em funcionamento do novo aeroporto e a circulação do comboio do Caminho-de- -Ferro de Benguela,  a população  do Moxico tem inúmeras possibilidades de escolha do meio de transporte a usar,  independentemente da condição financeira de cada um.

Infra-estruturas
O  director do Inea esclareceu que o Moxico conta com 133 pontes,  das quais 80 de grande dimensão, e que para este ano o Governo pretende construir mais 25 novas pontes metálicas nos troços que liga Cazombo/Caripande. Das pontes construídas pelo Executivo, figura a ponte sobre o rio Zambeze a maior da região, que liga os municípios do Luau e Alto Zambeze com 130 metros de cumprimento, 11 de largura com duas faixas de rodagem, que deve ser inaugurada  no primeiro semestre do ano em curso.