Governo da Província de Cabinda concluiu, a pavimentação de 151 quilómetros (km) de estrada nos municípios de Belize e Buco-Zau, no quadro do programa de investimentos públicos (PIP). O projecto vai facilitar a circulação de pessoas e fortalecer a actividade comercial, junto das comunidades da região.

Foram igualmente concluídos 41 km de estrada, no troço Buco-Zau/Necuto e do Conde Malonda/Nganda Cango. Perto de 18 km do troço Belize/Luali estão também em fase de conclusão, num projecto que ligará Cabinda às fronteiras com o Congo Brazaville e a República Democrática do Congo (RDC). Este troço estimulará as trocas comerciais e facilitará a circulação dos cidadãos dos três países, no quadro dos acordos tri-partidos (Angola, Congo Brazzaville e RDC).

Circulação garantida
De acordo com o secretário provincial das Obras Públicas, Juliano Capita, as infra-estruturas rodoviárias concluídas e em fase de construção, nos municípios de Belize e Buco-Zau e nas comunas do Luali e Necuto, vão permitir a livre circulação de pessoas e bens, além de relançar a actividade madeireira, bem como promover a agricultura.

De acordo com a fonte, as obras concluídas sob supervisão do Instituto Nacional de Estradas (INEA) estiveram a cargo das construtoras Tecnovia, Mota-Engil e Encica, cuja execução é de dois anos, gerando 300 empregos directos.

No quadro do programa de investimentos públicos, em 2013, foram também pavimentados de 26 km de estrada, na cidade de Cabinda e na localidade de Cacongo. Ainda no município sede da província, foram igualmente reabilitados 284 km de vias terciárias e secundárias.

Estradas terciárias
No âmbito do projecto de infra-estruturas rodoviárias, o governo local está a construir a estrada Songolo/Chiazi, assim como a abertura da via terciária de Mandarim/Chinchichi, no município do Cacongo. Estão igualmente em curso as obras dos troços Cacongo/Chiela/Mpongo e Subantando/Nbande/Save, no município de Cabinda e a reabilitação da via Amílcar Cabral/hospital central de Cabinda. Está a ser reabilitada a via do Tembo/Nsac/Vitima/Bamba//Kibuedi/Massanga.

O programa enquadra ainda o melhoramento da via Chiela/Luango Pequeno/Chimbete/Mbuela/Mpuela, no município do Cacongo e a reabilitação do troço Caio Nguembo/Sango Massala/Bongo.

A via terciária Dinge/Chivovu, no Cacongo, está também a ser construída, além das valas de drenagem nos bairros do Simulambuco, Cabassango e no Mbuela na planície de Mandarim.

“As principais obras de investimento estão enquadradas no PIP, que reflectem nos objectivos do plano nacional de investimentos 2013/2017. Existe um esforço muito grande que o governo de Cabinda está a desenvolver, visando a melhoria das infra-estruturas rodoviárias e promover o desenvolvimento sustentável”, referiu Juliano Capita.

Satisfação
As populações da comuna do Alto Sundy, município de Belize, que viviam isoladas, com o resto da província devido à inoperância das vias de acesso, estão agora bem servidas com a materialização do programa de desenvolvimento da região, que teve início em 2013. O projecto permitiu a construção de 80 km de estrada, do troço Caio-Nguembe/Bitina, projecto que envolve trabalhos de terraplanagem, passagens hidráulicas e pontes.

De acordo com Juliano Capita, a comuna do Alto Sundy por ser uma localidade com características irregulares no solo, com realce para as ravinas, exige um trabalho aturado.

“Vamos intensificar a construção das estradas na localidade do Alto Sundy, projecto que pretende chegar ao Bulo, que faz fronteira com o Congo Brazzaville e a RDC. O programa de desenvolvimento do Alto Sundy foi aprovado pelo Executivo angolano e está a ser materializado pelo governo provincial”, disse.