A rede interna de distribuição de água à cidade de Ndalatando, província do Kwanza-Norte, poderá, a médio prazo, superar os 45 para 80 quilómetros (km) de extensão em resposta à construção de uma nova centralidade com quatro mil fogos habitacionais.
 
A informação foi prestada à Angop em Ndalatando, pelo responsável do departamento provincial de águas, Silvestre Zangui, acrescentando que esta previsão visa satisfazer também outras zonas já identificadas como os bairros Vieta, 28 de Agosto e São Filipe.

Cerca de 110 chafarizes bem como 2.600 ligações domiciliares integram a actual rede de distribuição, suportada pelos 45 quilómetros de tubagem.Segundo ele, o governo está a realizar estudos visando a instalação de sistemas de bombeamento para melhorar o abastecimento aos aglomerados populacionais das zonas montanhosas da cidade, construída num espaço de relevo acidentado.

Actualmente a principal fonte de água para Ndalatando é a captação do rio Mucari, há 17 quilómetros da cidade, que conta com uma central de tratamento na localidade de Cawabe e um reservatório de distribuição com capacidade de 5.000 metros cúbicos, situado no bairro Miradouro.

Prioridade
Em virtude de actualmente se constatar uma elevada perda de água nos chafarizes da cidade, o responsável disse que o sector vai priorizar a realização de ligações domiciliares, visando uma maior responsabilização dos consumidores na racionalização do uso do precioso líquido.

De modo a dar resposta ao exigente nível de consumo, decorrente do crescente aumento da população da cidade, a fonte recordou estarem em curso estudos para a implementação de um projecto tendente à construção de uma nova captação a partir do rio Lucala.
Estimativas de 2009 atribuem a esta capital provincial uma população de 142 mil 765 habitantes.