Empresários da província do Uíge reuniram-se na última sexta-feira numa mesa redonda, na qual reflectiram sobre os diversos problemas que entravam o desenvolvimento da classe empresarial.
No encontro, que contou com a participação da vice-governadora para o sector político, social e económico, Catarina Pedro Domingos, os empresários apelaram para um melhor tratamento dos bancos comerciais no processo de concessão de crédito.
Sob o tema “Reflexão e auscultação dos empresários da província sobre o sector Económico e Produtivo”, a mesa redonda serviu de espaço aberto para o diálogo entre os homens de negócio.
Para os participantes, o governo provincial deve criar mecanismos de incentivo à agricultura familiar, solicitando ainda a melhoria das vias de acesso, para facilitar os empresários a expandir os seus negócios em outras localidades da região.
Participaram na mesa redonda, empresários filiados na Câmara do Comércio e Indústria, Fórum Angolano de Jovens Empreendedores, Associação das Indústrias de Panificação e Pastelaria de Angola, Associação de Empreiteiros do Uíge e das Mulheres empresárias.
A província regista um bom número de empresários. Mas, o número de empresários agrícolas é muito pouco significativo e o seu registo é pouco fiável. A maior parte das fazendas cedidas pelo Estado, muitas delas há mais de 20 anos, encontram-se abandonadas.
O número de fazendas de café em actividade não ultrapassa as 20 em toda a província.