A federação russa vai apoiar Angola no aumento da produção alimentar, com o objectivo de diminuir as importações.
A garantia é do embaixador da Rússia em Angola, Vladimiro Tarov, que em declarações ao JE, em Luanda, destacou que o seu país já solicitou a Angola para indicar os produtos que necessita, e em conjunto desenvolverem estratégia no sentido de se reduzir o défice que se regista no mercado.
Para o diplomata russo, a prioridade recai para milho, trigo e outros produtos.
Segundo disse, a experiência “piloto” foi desenvolvida ano passado, na região Centro e Sul do país, onde mais de mil pigmentos de sementes foram plantados, com resultados satisfatórios.
A aquicultura é também um dos segmentos económicos que a cooperação poderá se desenvolver.

Aviação civil
Além do sector da Agricultura, a Rússia prevê igualmente montar um centro de manutenção de helicópteros para assegurar a revisão dos aparelhos no país com maior segurança.
Segundo apuramos, este segmento de negócio vai contribuir em grande medida no aumento de volume de negócio entre os dois países, marcado por indicadores muito reduzidos.
A meta é tornar o centro de manutenção dos helicópteros, uma alternativa para os países vizinhos, principalmente os da região da SADC.

Associativismo
Para garantir a execução exitosa destes projectos, a embaixada da Rússia em Angola prevê cooperar com a Associação de Ex-estudantes Angola da antiga União Soviética e Comunidade de Países Independentes (SAYUZNIK).
Na ocasião, o presidente da agremiação, João da Cruz Fonseca, disse que a instituição está preparada, sendo que o desafio passa pela revitalização das estruturas da organização.