O Executivo angolano publicou recentemente as acções desenvolvidas durante o primeiro trimestre de 2013. Entre as várias actividades, destacam-se os sectores do urbanismo e habitação, indústria, pescas, bem como o agrícola.

Segundo o denominado “memorando de desempenho da actividade do Executivo do I trimestre de 2013”, no sector do urbanismo e habitação foram executadas nove centralidades, em seis províncias, nomeadamente Bié (Andulo e Cuito), Kwanza-Sul (Sumbe), Huambo (Bailundo, Caála e Lossambo), Moxico (Luena) e Uíje (Quilomoço), numa área total para 20.000 fogos. Estão em curso também obras de infra-estruturas e a construção dos oito primeiros lotes para habitações sociais no programa de reconversão dos municípios do Sambizanga e Cazenga (Luanda).

Parceria
Ainda no sector habitacional, a empresa Kora Housing, Ltd lidera o projecto comunidades urbanas, que prevê a construção de 40.000 unidades em seis províncias, que totalizam 14 sítios, que deve ser completado num prazo de 30 meses.

A fonte destaca que decorre ainda a construção da segunda fase da urbanização Nova Vida (Luanda), assim como a execução de trabalhos de infra-estruturas nas localidades do Andulo, Kuito, Sumbe, Bailundo, Caála, Lossambo, Luena, e Quilomoço, no âmbito do projecto das comunidades urbanas, para a construção de 25.500 fogos.

Para o cadastro nacional de terras, estão instruídos 40 processos de concessão de terreno que correspondem a uma superfície de mais de 18,1 hectares, nas províncias de Luanda, Malanje, Benguela, Kwanza-Sul e Kwanza-Norte.

Sector da construção
Neste domínio, o documento revela que foram executadas cerca de 6.081 quilómetros (km) de estradas, nas províncias do Moxico, Lunda-Norte, Lunda-Sul, Malanje e Kuando-Kubango, das quais estão em conservação cerca de 4.200 km e 327 para a reabilitação e construção de pontes. Prevê-se ainda a conclusão de sete pontes nas províncias do Namibe, Huíla, Kuando-Kubango e Bié. Estão em conclusão a ponte sobre o rio Queve, na província do Kwanza-Sul, no troço Uko/Seles/Conda/Gabela.

Para as vias secundárias, o programa, sob gestão do Intituto Nacional de Estradas de Aangola (INEA), prevê reabilitar e melhorar cerca de 4.590 km de troços já existentes.

Indústria
No sector da industrial, estão instaladas e em funcionamento na Zona Económica Especial (ZEE) 22 unidades de diferentes ramos de actividade numa área de 2,2 metros quadrados, criando assim 709 empregos directos; destes 641 são nacionais e 68 expatriados. A fonte frisa que a indústria metalomecânica é o sector que mais emprego gerou, durante o ano de 2012 e no princípio de 2013, com a criação de 193 novos postos de trabalho.

Ainda no sector da indústria, a empresa Nova Cimangol registou um aumento de produção com uma capacidade anual de 0,6 milhão de toneladas, que passou de 1, 2 milhões anterior para 1,8 milhões de toneladas de cimento.

A empresa Sicil Angola já aprovou o programa que visa a construção de uma nova fábrica de cimento no município ferroportuário do Lobito (Benguela) , que terá capacidade para produzir cerca de 500 toneladas.

Ainda no domínio industrial, no segmento siderúrgico, a fonte revela que estão em funcionamento três unidades, nomeadamente a Siderurgia Nacional, Fabrimetal e a Delta Steel Mill, com uma capacidade instalada de 90.000 toneladas/dia.

Agricultura
O projecto da Companhia de Bioenergia de Angola (BIOCOM), implantado no pólo agro-industrial de Capanda, na província de Malanje, cujos investidores são as empresa Odebrecht, Damer e Sonangol, num investimento de 26,2 triliões de kwanzas ( 272,3 milhões de dólares), na parte industrial, prevê produzir 282 mil toneladas de açúcar.

Cereais
Com vista à produção de cereais estão em exploração agrícola 82 tipos de cereais, na províncias do Bengo, Benguela, Cunene, Malanje, Huíla, Huambo, Kwanzas Norte e Sul além da provincia do Uije.

No segmento da veterinária, a fonte adianta que foram implantados matadouros para inspecção de animais em vida e de carnes, nas províncias de Malanje, Kwanzas Norte e Sul.

Pescas
No sector de pescas, foram implementados vários projectos, com realce para a construção de dois navios de inspecção e fiscalização pesqueira e um navio de investigação costeira. Foram ainda adquiridos meios de equipamentos para a produção de peixe seco salgado.

Estão também em fase de finalização os centros do Tômbwa e do Namibe, bem como a recuperação de projectos das salinas nas província do Namibe e Benguela.