A reabilitação e asfaltagem das estradas nacionais e secundárias em curso na província da Lunda-Norte vão permitir maior fluidez rodoviária, crescimento nas trocas comerciais e desenvolvimento no sector agro-industrial. Em curso estão vários projectos que visam a dinamização do sector produtivo, numa iniciativa do governo provincial em parceria com empresas privadas. Por exemplo, o governo contratou a construtora portuguesa Mota-Engil, a quem foram adjudicados os cerca de 285 quilómetros da estrada Dundo/Lucapa, onde está a proceder a asfaltagem da mesma. No mesmo sentido, a construtora Chinesa SNCT está a reabilitar o troço Lucapa/Saurimo. A estrada nacional 225 ligando Dundo/Cuílo/Caungula/Cuango/Xá-Muteba está também a ser reabilitada.

Prosperidade
Falando recentemente em Luanda, à margem de um encontro internacional, o governador provincial da Lunda-Norte, Ernesto Mwangala disse que perto de cinco construtoras estão a reabilitar perto de 540 quilómetros de estradas, dos diversos municípios da província.
Apesar de ainda não estar reaberto para o tráfego aéreo, o governador local garantiu que a unidade aeroportuária da cidade do Dundo, já modernizado pode servir de ponto de entrada de vários produtos essenciais para a população. Na ocasião, o governante referiu que a nova centralidade do Dundo, está praticamente concluída, faltando apenas a sua entrega.

Sector eléctrico
Por outro lado, Ernesto Mwangala revelou que está em curso, a construção, ampliação e reabilitação de uma barragem que vai suprir as necessidades do sector eléctrico, projecto que vai beneficiar 25 mil moradores. Está também prevista a construção de uma central térmica, com a capacidade para produzir cerca de 32 megawatts.

Agricultura
Quanto ao sector agro-industrial, o governante informou que estão em curso na província diversos programas que visam relançar a produção, medida que vai permitir diversificar a economia. Segundo avançou, está previsto uma produção agrícola de grande escala, medida que permitirá que a Lunda-Norte não “dependa somente dos diamantes”.
O responsavel citou a implementação do projecto Cacanda, que vai autonomizar com alimentos a região da Lunda-Norte. Na produção agrícola, o destaque recai para o cultivo de tubérculos, principalmente a mandioca e a batata-doce, representando 30 por cento. Preve-se igualmente a produção de arroz em grande escala, cuja meta é de reduzir as importações.
No sector pecuário, a iniciativa produzirá carne e ovos. Actualmente, a aposta principal é a produção de ovos que são consumidos e vendidos aos habitantes locais e parte abastece o mercado de Saurimo (Lunda-Sul) e Luena(Moxico). A fonte assegura que, a intenção é de que num futuro próximo, os produtos atinjam níveis aceitáveis para serem também comercializados na República Democrática do Congo. A fazenda está igualmente a multiplicar animais, com realce ao gado bovino, cabrino e ovino.

Emprego
Cerca de 3.000 mil trabalhadores que perderam emprego nas empresas de exploração mineira foram reenquadrados nas firmas que trabalham na construção de estradas principais e terciárias da região Leste do país.