Um sistema de dispersão de derrames petrolíferos de grandes proporções no mar vai ser colocado no Golfo da Guiné, nos próximos meses, para acudir eventuais situações que ocorrem nos campos de exploração de hidrocarbonetos no “offshore” angolano.

A informação foi prestada, recentemente, em Luanda, pelo director geral-adjunto da Total E&P Angola, Jorge Abreu, quando falava à margem da abertura do workshop sobre exercício de resposta a derrames de petróleo de grandes proporções.

De acordo com Jorge Abreu, a partir do Golfo da Guiné, o sistema de dispersão poderá ser accionado rapidamente para ajudar nas situações de emergência nos diferentes blocos petrolíferos do mar angolano.

O director geral-adjunto da Total E&P Angola ainda  que informou que para o exercício de resposta a derrames de petróleo a ser organizado pela companhia com o apoio do Ministério dos Petróleos, o sistema de dispersão deverá vir da Noruega. O ensaio acontece em Setembro próximo no país.

Com o exercício, a empresa francesa pretende testar a capacidade de mobilização e implementação, em tempo útil, do equipamento, recentemente desenvolvido, no seguimento do derrame ocorrido do Golfo do México em 2010.