O ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, recebeu, ontem,em audiência uma delegação da POOL Energética da África Central (PEAC), chefiada pelo secretário permanente, Jean Mekondongo.
Segundo uma nota do Ministério da Energia e Águas no encontro, o representante da delegação informou sobre a visita realizada à Central do Ciclo Combinado do Soyo (Zaire), que permitiu a recolha de dados importantes que facilitarão a busca de financiamento para os estudos de viabilidade para o projecto de interligação eléctrica entre Soyo e Inga, da República Democrática do Congo (RD).
Remeteu, oficialmente, o projecto concluído dos estudos de viabilidade da interligação eléctrica entre o Inga/Cabinda/Ponta Negra (Congo).
O Secretário Permanente da PEAC reconheceu o impacto da liderança de Angola nos vários processos que visam a integração regional.
A delegação do Peac encontra-se em Luanda, a convite do presidente do Conselho de Administração da Rede Nacional de Transporte de Electricidade (RNT).
A barragem do Inga, localizada na cidade de Matadi, província Congo Central, República Democrática do Congo, deverá fornecer energia eléctrica à cidade de Cabinda e arredores, no quadro da cooperação bilateral entre Angola e RDC.
A construção da linha de transporte, do Inga, passando pela vila portuária do Muanda, estava avaliada em cerca de 20 milhões dólares americanos.
A região do Inga possui um potencial hidroeléctrico de 40 mil a 45 mil Megawatts, dos 100 mil MW que a RD Congo dispõe.
A actualmente conta duas centrais, Inga I e Inga II, de mil e 800 MW cada uma. Estas centrais entraram em funcionamento em 1972 a Inga I e em 1982 a Inga II.