O sector empresarial nacional tem registado um desempenho favorável no que toca à satisfação dos operadores económicos. No I trimestre do ano em curso, o indicador do clima económico no mercado apresentou tendência positiva em relação a período homólogo, apesar dos indicadores continuarem abaixo da média da série. Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), na indústria transformadora, o indicador de confiança manteve a tendência positiva dos trimestres anteriores e evoluiu favoravelmente face a período homólogo, mas a conjuntura económica permaneceu desfavorável. No parecer dos empresários, segundo o INE, as dificuldades financeiras, a falta de matéria-prima e as frequentes avarias mecânicas nos equipamentos, foram os principais constrangimentos. O excesso de burocracia, a falta de água e energia, dificultaram também as actividades das empresas do sector. No sector do Turismo, apesar de a conjuntura permanecer desfavorável, os empresários continuam optimistas quanto às actividades, pois o seu indicador evoluiu positivamente em três trimestres consecutivos.

Observou-se ainda, a evolução positiva do indicador, resultante das actividades das empresas no trimestre corrente e das perspectivas animadoras das mesmas nos próximos três meses.
No que concerne às limitações, mais empresas registaram constrangimentos ao desenvolverem as suas actividades sem comparação ao período homólogo.
As dificuldades financeiras e a insuficiência da procura foram apontados como os principais constrangimentos,
na opinião dos empresários.
No entanto, a insuficiência da capacidade de oferta, o excesso de burocracia e as dificuldades em encontrar pessoal com formação apropriada, também influenciaram negativamente na actividade das empresas do sector.