Dentro de 24 meses será colocado um novo tapete asfáltico, no troço Luzi/Cangamba, na estrada nacional EN180, na província do Moxico, o que vai permitir melhorar a circulação de pessoas e mercadoria na região.
O troço localizado no município histórico do Luchazes, nunca teve asfalto, agora vai conhecer momentos de progresso, sobretudo os comerciantes que vão investir na região, com
a ligação Luzi/Cangamba.
As obras da EN180 que ligam as duas localidades, numa extensão de 155 quilómetros, foram retomadas na semana passada, depois de ficarem paralisadas durante dois anos devido à falta de financiamento.

Obras arrancaram
O director da empresa Tea, que está a executar a obra, José Guillen Baez, assegurou à imprensa, recentemente, que até ao término das chuvas a empreitada vai atingir 60 km de pavimentação dos solos, “e se não houver outros problemas de financiamento serão asfaltados até Agosto próximo, cerca de 60 km, dos 155 previstos”.
José Guillen Baez que falava durante a visita que o governador da província do Moxico, Gonçalves Muandumba, efectuou na região, afirmou que apesar de problemas financeiros que têm estado na origem das constantes interrupções, a obra estará concluída no prazo de dois anos.    
Segundo o responsável, a obra de requalificação do troço Luzi/Cangamba teve início em 2014, mas desta vez, sublinhou, “tudo está a ser feito para que os constrangimentos do passado
não se repitam mais”.

Mais desenvolvimento
Luchazes é o município cujas estradas apresentam o maior grau de degradação, a nível da província do Moxico.
A região tem solos arenosos, sendo que actualmente, a circulação é feita com bastantes limitações, o que está a impossibilitar o desenvolvimento socioeconómico.
Moisés Caiongo um dos habitantes do Luchazes disse que a conclusão da estrada vai trazer mais desenvolvimento e evitar muito tempo de viagem para a cidade do Luena.
O nosso interlocutor afirmou que devido a inacessibilidade da via, o município não dispõe de nenhum serviço de transporte inter-municipal, tendo acrescentado que a transportação de pessoas e mercadorias é feita por meio de viaturas tipo “Kamaz” ou outro tipo com capacidade para superar as grandes dificuldades que o terreno apresenta.
“Pedimos ao Governo para não parar mais com estas obras que já duram mais de quatro anos. O povo está a sofrer. Não existem lojas. Os comerciantes não têm como colocar os seus produtos aqui, por causa da condição
das estradas”, revelou.
Por outro lado, os habitantes da comuna de Tempué optam em deslocar-se para o município do Cuito-Cuanavale, na província do Cuando Cubango, para efectuarem as suas compras ao invés  da cidade do Luena.

Posição geográfica
O município do Luchazes  conta com uma extensão de 43.344 quilómetros quadrados e cerca de 24 mil habitantes.
É limitado a Norte pelo município do Moxico, a Este pelo município de Bundas, a Sul pelos municípios de Mavinga e Cuito Cuanavale (Cuando Cubango), e a Oeste pelos municípios de Chitembo e Camacupa (Bié). É constituído pelas comunas de Luchazes, Tempué,
Cassamba, Muie e Cangombe.

ESTRADAS NOVAS
INEA trabalha para recuperar
rede rodoviária da região leste

As estradas do Leste do país que compreendem as províncias do Moxico, Lunda Norte e Lunda Sul, conhecerão melhorias significativas, devido à sua reabilitação ainda este ano, anunciou, recentemente, em Saurimo, o director provincial da Lunda Sul do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA), Rafael Mutemeca.
Em declarações à Angop, o responsável disse que a melhoria consubstancia-se numa primeira fase nos trabalhos paliativos (tapa buracos), tendo em conta as constantes chuvas que se abatem na região nesta época.
Afirmou que após a época chuvosa, iniciará a outra fase que compreenderá o asfaltamento da Estrada Nacional 230, que liga Malanje/Lunda Norte e Lunda Sul, posteriormente Dala e Luena pela EN180.
Acrescentou que para o efeito, o Ministério da Construção e Obras Públicas já firmou contratos com cinco empresas de construção de estradas (nacionais e estrangeiras), que se encarregarão da execução das distintas empreitadas.
Dentro de dias, informou o director regional do Inea, estas empresas vão montar os seus estaleiros nos municípios de Xa Muquelengue e Cacolo (Saurimo), Cuango (Lunda Norte), e um outro na zona limítrofe entre Malanje e Lundas sobre o rio Lui.
Rafael Mutemeca sublinhou que a equipa contratada terá a missão de asfaltar e substituir cerca de 29 pontes entre metálicas e definitivas que se encontram em degradação, com vista a permitir maior fluidez do trânsito e conferir mais dignidade aos seus habitantes.
Lembrar que 600 quilómetros de estradas secundárias e terciárias, foram asfaltados na província da Lunda Sul, desde o processo de reconstrução nacional, iniciado com a paz efectiva, alcançada em 4 de Abril de 2002.