Cinco mil novos postos de trabalho foram criados no sector do turismo, informou esta semana, em Luanda, o ministro da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Jesus Maiato.
O governante falava durante o “Encontro de reflexão sobre mecanismo de empregabilidade e valorização dos recursos humanos no sector do turismo através de um processo de formação eficiente, eficaz, efectivo e perspectiva no sector”, em alusão ao Dia Mundial do Turismo, comemorado a 27 de Setembro.
Fez saber que, apesar das dificuldades que o país atravessa, verifica-se o crescimento gradual do sector do turismo, no domínio das infra-estruturas, oferta de serviços turísticos, formação do capital humano, bem como dos níveis de empregabilidade.
“Angola detém um potencial turístico invejável a nível regional capaz de contribuir para o crescimento económico do país”, disse.
Para que o sector do turismo possa crescer de forma harmoniosa, combinada e manter a tendência crescente da empregabilidade, Jesus Maiato fez saber que o executivo continuará apostar na qualificação do capital humano, propósito que consta do Plano Nacional de Desenvolvimento (PND 2018-2022).
Acrescentou que os centros e formação profissional públicos e privados ofereceram um leque de cursos ligados ao sector o turismo, tendo formado cerca de sete mil jovens no período 2018 até ao II trimestre de 2019, com particular destaque para Escola de Hotelaria e Restauração (EHR) que é um centro de formação excelência.
Criado em 2010, a EHR capacitou até o III semestre de 2019, 4 mil e 33 cidadãos nacionais com os cursos de gestão de hotelaria, restauração, turismo, cozinha, pastelaria e panificação, restaurante e bar, recepção e andares, agência de viagens, animação e organização de eventos, além de oferecer cursos de nível médio neste segmento.
Segundo o responsável, a EHR atingiu uma taxa de empregabilidade acima dos 70 por cento, resultado que estimula que se continue a aprimorar o programa de estágio profissional não só no sector do turismo, como nos demais sectores onde exista um potencial de geração de postos de trabalho.
Exortou aos operadores que intervêm no sector a conjugar esforços com vista a desenvolver o ramo, alinhados as políticas definidas pelo executivo, eliminando obstáculos de natureza administrativa e burocráticos que impedem o desenvolvimento do turismo, de modo a proporcionar cada vez mais serviços de qualidade.
Por seu turno, a ministra da Hotelaria e Turismo, Maria Ângela Bragança, apelou ao Maptss o reforço de uma plataforma de emprego, pleno e decente como defende a Organização Mundial do Trabalho.
A governante informou que o turismo gera dez por cento de empregos directos, indirectos e induzidos a nível mundial.
Para si, é fundamental colocar o capital humano no centro de desenvolvimento económico.