A partir deste “ano agrícola” e pela primeira vez, a província do Uíge, começa a produzir massango e massambala. Segundo o director provincial da Agricultura, Eduardo Gomes, em declarações ao JE, numa primeira fase, o cultivo de massango e massambala vai ser feito nos municípios do Negage, Mucaba, Sanza Pombo e Uíge, enquanto prosseguirem a pesquisa por outras terras favoráveis noutras localidades da circunscrição. Para o efeito, sustentou, o governo provincial adquiriu cinco toneladas de sementes, sendo três de massango e duas de massambala. Esta cultura é produzida fundamentalmente no Sul do país. O responsável reiterou o engajamento do governo provincial no estímulo, fomento e valorização da produção agrícola, para aumentar alimentação no seio das famílias. A província tem um enorme potencial em termos de fertilidade dos solos e abundantes recursos hídricos para a produção de vários tipos de alimento, “sem precisar da importação de produtos da cesta básica”.

Resgatar a hegemonia
O sector está a trabalhar junto dos produtores a fim de estimular a produção do café, por forma a devolver os altos níveis de produção que caracterizavam a província. Por isso, prosseguiu, a província do Uíge aumentou em 20 por cento a quantidade de terras que está a ser cultivada nesta época agrícola 2019/2020, comparativamente aos 571.291 hectares lavrados no período de 2018/2019. “Em 2018/2019 tínhamos já aumentado em cinco por cento a produção da época anterior. Queremos continuar a crescer, perseguindo o objectivo da estabilização económica e a garantia da segurança alimentar das populações a partir da produção local”, disse. Eduardo Gomes revelou que este facto resulta do fornecimento de equipamentos de mecanização e outros meios de trabalho, assim como de sementes e fertilizantes.

Trabalho árduo
Referiu que para o presente ano agrícola, tem o controlo de 652.766 hectares, que estão a ser trabalhados por 216.268 empresas agrícolas e famílias, enquadradas em 868 associações, 51 cooperativas e 3.339 pequenos agricultores. Foram criadas 10 brigadas técnicas de mecanização agrícola, que estão a acompanhar as tarefas de lavoura dos camponeses.