A União Europeia vai apostar no sector da agricultura na província de Cabinda, no âmbito do seu novo plano de apoio ao desenvolvimento, em parceria com os ministérios da Economia e do Planeamento, avançou, nesta cidade, o embaixador acreditado em Angola, Tomas Ulicny. Tomas Ulicny, que esteve em Cabinda durante dois dias, sublinhou que essa aposta no sector da agricultura na região “é muito importante porque existe aqui um potencial para desenvolver essa actividade”. Salientou também que os projectos do governo provincial, no quadro do fomento da actividade agrícola, “estão no bom caminho e poderão contribuir para que se alcancem os objectivos preconizados”, que podem ajudar no crescimento da economia, bem como da oferta de produtos do campo ao nível da província, dando resposta ao combate à fome e à pobreza. Neste sentido, salientou aquilo que a UE testemunhou, a assinatura de três acordos de projectos agrícolas com os produtores locais . “Isto é uma prova concreta de que a UE está pronta e disposta a oferecer o apoio ao sector privado”, assegurou. Para o embaixador, o sector privado será a principal prioridade na próxima fase do seu apoio, tendo em conta a diversificação da economia que é importante para a UE, uma vez que não se pode continuar a depender de 95 por cento do orçamento que vem da venda dos produtos petrolíferos. Durante a estada em Cabinda, que terminou hoje, o diplomata visitou o sistema de tratamento de águas de Sassa-Zau, em fase de construção, o Porto de Águas Pprofundas do Caio, Centro de Aconselhamento da Mulher do Simulambuco, Magistério de Cabinda e o Hospital Provincial e manteve encontro com a sociedade civil.